Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Mali: Presidente promete restabelecer a segurança após massacre

Mali: Presidente promete restabelecer a segurança após massacre
Direitos de autor
Malian Presidency/Handout via Reuters
Tamanho do texto Aa Aa

O presidente do Mali prometeu restabelecer a segurança e levar perante a justiça os responsáveis pelo massacre que ocorreu no sábado na aldeia de Ogossagou e que fez, pelo menos, 160 mortos.

Segundo as autoridades, o número de vítimas mortais poderá, ainda, subir.

No local, Ibrahim Boubacar Keïta referiu que as forças de segurança do país devem estar sempre prontas para intervir pois o Mali atravessa um período de guerra e não de paz.

O presidente maliano substituiu os chefes dos Estado-Maior do Exército e da Força Aérea no domingo, na sequência do massacre.

De acordo com a agência France Press, os sobreviventes do ataque de sábado, de etnia peul, também conhecida como fulani, afirmaram que caçadores de etnia dogon foram os responsáveis pelo massacre em Ogossagou.

O Governo do Mali ordenou, já, a dissolução da milícia anti-jihadista "Dan Nan Abassagou", composta por grupos de etnia dogon.

Há mais de quatro anos que o país assiste a confrontos étnicos desde o aparecimento do grupo jihadista de Amadou Koufa. O movimento, com ligações à Al-Qaida, costuma recrutar combatentes na comunidade fulani, que se dedica à criação de gado.

Segundo a Organização das Nações Unidas, os confrontos étnicos fizeram mais de 500 mortos em 2018, no Mali.