A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Greve da Função Pública em França

Greve da Função Pública em França
Direitos de autor
Thomas SAMSON / AFP
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Milhares de pessoas participaram, esta quinta-feira, na greve dos funcionários públicos contra o projeto de lei sobre reformas no setor. O objetivo do governo é facilitar o acesso a contratos temporários e cortar 120 mil postos de trabalho até 2022.

Para além de Paris, as manifestações tiveram um grande impacto nas principais cidades francesas como Lyon, Marselha e Nice.

Numa união rara, nove sindicatos estiveram envolvidos no protesto.

Philippe Martinez, secretário-geral da CGT, explicou os objetivos da greve.

“Acabar com esta reforma e discutir os serviços públicos que precisam de ser melhorados. Reabrir alguns hospitais e escolas e voltar a contratar pessoas para colaborações regulares. É isso que é preciso fazer”.

Trabalhadores ferroviários, reformados, professores, profissionais da área da saúde e funcionários do governo encheram as ruas no quarto dia de greve nacional na função pública desde o início do mandato de Emmanuel Macron.

Os sindicatos falam em 250 mil funcionários em greve. Segundo o Ministério do Interior, aderiram ao protesto cerca de 109 mil pessoas.