A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Assista de novo ao debate sobre o futuro da Europa

Candidatos à presidência da União Europeia
Candidatos à presidência da União Europeia -
Direitos de autor
European Union 2019 - Source : EP - WT5
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Pela segunda vez os seis principais candidatos à liderança da Comissão Europeia reuniram-se no Parlamento Europeu em Bruxelas para debater as propostas para o futuro da União Europeia.

Os seis candidatos são: Frans Timmermans (Socialistas Europeus), Ska Keller (Verdes), Nico Cué (Esquerda Europeia), Margrethe Vestager (ALDE - Aliança dos Liberais e Democratas Europeus), Jan Zahradil (Aliança dos Reformistas e Conservadores), Manfred Weber, (PPE, Partido Popular Europeu).

Os candidatos debateram três tópicos centrados em torno do que significa ser cidadão europeu, o meio ambiente e os valores europeus e o mundo.

O debate abriu com a intervenção do candidato da Esquerda Europeia, Nico Cué, que defendeu uma Europa da solidariedade. O candidato de origem espanhola recordou os tempos do antigo regime em Espanha e os efeitos sobre a sua vida pessoal. Ska Keller dos Verdes reforçou a necessidade de defender o meio ambiente e olhar para o futuro do planeta. O candidato da direita conservadora Jan Zahradil defende uma Europa menos integrada com Bruxelas a assumir um papel menos ativo por comparação ao que se vive hoje em dia.

A segunda questão do debate tocou no tema dos migrantes. Manfred Weber defendeu as políticas implementadas pela UE elogiando o trabalho do presidente da comissão Europeia, Jean-Claude Juncker e da chanceler alemã, Angela Merkel. Frans Timmermans, falando pelos socialistas europeus, defendeu a importância da solidariedade entre os estados com vista à resolução de problemas comuns assim como a necessidade da criação de um salário mínimo europeu, posição partilhada com o candidato da esquerda , Nico Cué. Timmermans apelou ainda à expansão do programa Erasmus de modo a chegar a todos os jovens europeus.

O emprego também foi um temas abordados no debate. A candidata dinamarquesa Margrethe Vestager defendeu a necessidade e convergência dos sistemas de segurança social comprometendo-se a lutar pela paridade de género. Timmermans defendeu igualmente o reforço das políticas de combate ao desemprego entre a juventude assim como a necessidade de criar paridade salarial entre homens e mulheres. O candidato socialista recorreu ao exemplo português para ilustrar o sucesso das políticas encetadas pelo atual governo português. Ska Keller apontou o dedo às políticas de austeridade que, na sua opinião, foram um erro.

O meio ambiente esteve igualmente na mira dos candidatos. Aqui, a candidata dos Verdes, Ska Keller, defendeu a reorientação dos subsídios europeus para a economia sustentável. Frans Timmermans aceitou os argumentos da candidata ecologista afirmando que outros tipos de combustível como a querosene também devem ser taxados. O candidato da esquerda , Nico Cué, insurgiu-se contra a evasão fiscal. Manfred Weber defendeu a necessidade de inovações tecnológicas como o caminho a seguir. Ska Keller questionou a atitude do PPE e, em particular, o presente sistema de troca de emissões de carbono.

Justiça social e a luta contra a evasão fiscal, em particular, das grandes multinacionais foi um dos temas que dominou o debate. Aqui, houve convergência entre alguns dos candidatos. Ska Keller e Timmermans defenderam posições idênticas na luta contra a evasão fiscal. Representando a direita, Jan Zahradil afirmou que a política fiscal cabe a cada estado-membro definir e não à União Europeia. Nico Cué disse que a evasão fiscal é um enorme problema e que o combate a este flagelo é uma das suas prioridades.

O lugar da UE no mundo também foi abordado. Trump, China, a guerra comercial em vigor, e o que é que a Europa vai fazer a este respeito. Ska Keller rejeitou a ideia de abrir os mercados europeus a produtos norte-americanos que não cumpram os padrões europeus. Um exemplo disto são os produtos agrícolas geneticamente manipulados, afirmou. Vestagher recordou que o mercado único europeu é o maior a nível mundial. A candidata liberal recordou que a Europa pode também ser mais exigente com os outros blocos comerciais. Weber recordou que o comércio é uma trave-mestra da prosperidade. O candidato alemão defendeu a utilização do comércio como via para a criação de um mundo melhor. Ska Keller afirmou que o comércio é importante mas não a todo o custo. É preciso estar consciente das consequências desse comércio.

E, como tópico final, situações como o Brexit e os nacionalismos e a ameaça que representam para o projeto europeu. Frans Timmermans afirmou que as políticas de divisão são uma ameaça que é necessário combater. Nico Cué apontou o dedo acusador à direita. Weber afirmou que por detrás de problemas como o Brexit está a falta de comunicação, neste caso, sobre o projeto europeu. Sobre esta questão, Zahril defendeu menos Europa afirmando que a integração europeia ameaça as formas de vida tradicionais. Margrethe Vestager defendeu a reforma da comunicação sobre a Europa como via para criar mais consciencialização.

No final do debate, todos os candidatos tiveram alguns momentos para transmitirem as suas mensagens. Ponto comum foi o apelo ao voto e envolvimento de todos os cidadãos europeus nas decisões que vão influenciar o futuro de todos.