Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Olympique Lyonnais sem rival à altura no futebol europeu

Olympique Lyonnais sem rival à altura no futebol europeu
Tamanho do texto Aa Aa

Menos de 24 horas depois de vencer em Budapeste a Liga dos Campeões pela sexta vez, a equipa feminina do Lyon estava de regresso a casa para ser recebida pelo presidente da Câmara local, Gérard Collomb. Jean-Michel Aulas era naturalmente um homem feliz, para o presidente do Olympique Lyonnais a vitória foi o resultado de muito trabalho, combinado com um talento incrível das suas jogadoras.

A hegemonia do clube na Europa sempre foi um sonho de Aulas e coube à equipa feminina torná-lo realidade. Contrariamente ao que acontece entre os homens, as melhores jogadoras mundiais não hesitam em vir para Lyon. É o caso de Ada Hegerberg:

"A Liga dos Campeões tem um grande significado para mim desde o primeiro jogo que fiz. Toda a gente conhece a importância da competição por isso ganhá-la pelo quarto ano consecutivo é uma aventura... quero apreciar o momento e manter a fome de vitórias para o futuro."

Com 13 triunfos consecutivos no campeonato francês mais seis títulos europeus nos últimos nove anos, o Lyon é claramente a grande potência mundial no feminino. Para o treinador, o antigo internacional francês Reynald Pedros, como "o clube fez um enorme esforço por estas jogadoras e pela equipa feminina", "o mínimo que podiam fazer era ganhar tudo o que fosse possível" e fizeram "com orgulho".

Se a série vitoriosa é para continuar, só o futuro o dirá. Os grandes clubes do futebol europeu só agora começam a acordar para o desporto rei no feminino e já vão com vários anos de atraso para o

Olympique Lyonnais, que confirmou o favoritismo para esta final com uma vitória categórica frente a um Barcelona que nunca encontrou forma de travar a melhor jogadora em campo, a vencedora da Bola de Ouro, Ada Hegerberg.

Para as campeãs da Europa é momento de festejar mas a festa quer-se curta. A maior parte das jogadoras tem já outro desafio pela frente, o sonho de qualquer futebolista, o Campeonato do Mundo que começa em França a 7 de junho.