A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Irmão de Boris Johnson demite-se e abandona governo

Irmão de Boris Johnson demite-se e abandona governo
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Nova baixa de peso no partido conservador britânico. Depois da liderança ter expulso 21 membros do partido esta semana, desta feita foi o irmão mais novo do primeiro-ministro que apresentou a demissão.

Jo Johnson, que ocupava o cargo de secretário de estado para o comércio, justificou a decisão devido ao conflito entre "lealdade familiar e o interesse nacional".

Jo Johnson é o 23º membro dos Conservadores a abandonar o lugar esta semana.

Entre deserções e expulsões a saída de Jo Johnson não constitui surpresa. O antigo deputado por várias vezes defendeu a permanência do Reino Unido na União Europeia e apelou à realização de um segundo referendo.

Entre as perdas de peso conta-se o neto de Winston Churchill, Nicholas Soames, que agora assumiu o cargo de deputado independente. No discurso de despedida, Nicholas Soames, disse já não reconhecer o partido que serviu durante quase quatro décadas.

"Sr. presidente da assembleia, não vou participar nas próximas eleições e assim termino 37 nos de serviço nesta casa que servi com muito orgulho e honra. Estou muito triste por acabar desta maneira", afirmou o ex-deputado conservador Nicholas Soames no discurso de despedida.

Para os apoiantes de Boris Johnson, a purga interna justifica-se pela visão de um Brexit que defendem custe o que custar.

"Há dois dias que os rebeldes sabiam que se tratava de um voto de confiança. Algumas destas pessoas são amigos de longa data. Quero que o Boris fale com eles, mesmo nesta fase tardia, para ver o que se pode fazer para que eles participem na próxima eleição", afirmou Nigel Evans, aliado do primeiro-ministro.

A purga ordenada por Boris Johnson deixa a descoberto as enormes tensões e fraturas internas no seio do partido conservador britânico que