A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

"Tragédia histórica" nas Bahamas, diz PM

"Tragédia histórica" nas Bahamas, diz PM
Direitos de autor
Reuters
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Nas Bahamas as autoridades continuam a avaliar as consequências da passagem do furacão Dorian.

Pelo menos duas dezenas de mortos é o balanço oficial prevendo-se contudo que venha a subir.
O anúncio foi feito pelo primeiro-ministro do arquipélago, Hubert Minnis, que descreveu o evento como uma "tragédia histórica".

Falando após uma visita aérea às ilhas Ábaco, o alto funcionário alertou para o que descreveu como "devastação geracional" no norte do arquipélago que conta com cerca de 700 ilhas, das quais três dezenas são habitadas.

Na manhã desta quinta-feira, o furacão deslocava-se paralelamente à costa sudeste do estado norte-americano da Geórgia.

Os meteorologistas prevêm que os estados da Carolina do Norte e Sul serão igualmente afetados nas próximas horas.

Segundo estimativas das Nações Unidas, cerca de 70 mil pessoas precisam de ajuda urgente.

O presidente norte-americano, Donald Trump, já anunciou o envio de auxílio incluindo alimentos e materiais originalmente destinados às vítimas do furacão na Florida.