A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Áustria prepara-se para eleições legislativas

Áustria prepara-se para eleições legislativas
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Nas vésperas das legislativas austriacas os candidatos dão o tudo por tudo por cada voto.

Apesar das sondagens darem a vitória a Sebastian Kurz e ao seu partido, ÖVP, que contudo fica aquém da maioria absoluta.

A questão continua a ser quem vai conquistar o segundo maior número de votos: os social-democratas ou o Partido da Liberdade, de direita.

De recordar que desde há quatro meses que o país é gerido por um governo interino, depois de um escândalo sobre um caso de corrupção ter feito ruir o governo, uma coligação entre o partido de Kurz e a extrema-direita do Partido da Liberdade da Áustria (FÖP).

O analista político Paul Schmidt está convencido que Sebastian Kurz prefere uma coligação a três com verdes e liberais, ou uma nova edição do seu último governo. Mas como é que uma renovada coligação de direita pode afetar a Europa?

"Seria a continuação daquilo que já sentimos. Uma governo pró-europeu com elementos fortes de um Estado-nação. Se for de outra forma, veremos uma constelação entre o Partido Popular, os Verdes e os Liberais, veríamos uma mistura de posições, um governo austriaco que estaria mais empenhado na integração europeia com um foco muito forte no clima", afirma Paul Schmidt, perito político da Sociedade Austríaca de Política Europeia.

O repórter da euronews em Viena, Johannes Pleschberger, afirma:

"Apesar de Sebastian Kurz ter estado a liderar as sondagens com uma vantagem de mais de 10 por cento, ele começa subitamente a falar numa corrida apertada. Talvez receie uma fraca mobilização entre os seus apoiantes, porque sem uma verdadeira competição para o cargo de chanceler, a campanha não teve grande eventos. Os peritos alertam por isso para uma possível abstenção elevada no domingo."