Diplomatas prestam depoimentos públicos contra Donald Trump

Diplomatas prestam depoimentos públicos contra Donald Trump
Direitos de autor Jim Lo Scalzo/Pool via REUTERS
De  Joao Duarte Ferreira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O presidente é acusado de tentar influenciar o presidente ucraniano a investigar o seu rival democrata, Joe Biden

PUBLICIDADE

O primeiro dia de audiências públicas no processo de destituição de Donald Trump começou com uma mensagem bem clara do presidente do comité de informações da câmara de representantes.

"Se concluirmos que o presidente dos estados Unidos cometeu umC abuso de poder e facilitou a interferência estrangeira nas nossas eleições, ou se procurou condicionar, coagir, extorquir ou subornar um aliado no sentido de conduzir investigações que podem ajudar à sua re-eleição, e fê-lo através da retenção de atos oficiais, um encontro na Casa Branca ou através de centenas de milhões de dólares de auxílio militar, será que devemos simplesmente aceitar isso?", afirmou o presidente do comité de informações da Câmara dos Representantes, Adam Schiff.

Até agora, as audiências tinha decorrido à porta fechada.

Donald Trump é acusado de ter pressionado o presidente ucraniano a investigar o seu opositor democrata Joe Biden num caso que envolve uma empresa na qual trabalhava o seu filho, Hunter Biden.

Reagindo à abertura do processo, Donald Trump negou qualquer conduta imprópria e afirma que está a ser alvo de uma "caça às bruxas ao mais alto nível".

O destacado diplomata Bill Taylor prestou depoimento seguido de outro diplomata, George Kent, que acusou o advogado de Trump, Rudy Giuliani, de tentar "manchar" a reputação de funcionários norte-americanos na Ucrânia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Trump acusado de abuso de poder e obstrução ao Congresso

Avança o processo de destituição de Donald Trump

Trump recusa cooperar com inquérito democrata