EventsEventosPodcast
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

"Wallet" venceu o Festival do Filme em Telemóvel

"Wallet" venceu o Festival do Filme em Telemóvel
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

"Wallet" venceu o Festival do Filme em Telemóvel. Num minuto, Fatima Nofely retrata um mundo em que a água é tão escassa que substitui o dinheiro.

PUBLICIDADE

As regras são: Um smartphone, um minuto, um filme. A temática era, desta vez, as "Mudanças Climáticas".

A 15° edição do Festival do Filme em Telemóvel - "Act Now" levou à criação de 800 filmes, em 91 países. 50 foram selecionados. 8 foram recompensados.

As questões abordadas vão da poluição do plástico à falta de água, passando pelo sobrepopulação e pela desflorestação.

"Scream", de Gonzague Legout, foi distinguido com o Grande Prémio de França e tem sido amplamente divulgado, na medida em que foi utilizado pela ONU no Twitter.

A produtora, Cristina Vieira, quis fazer desta curta-metragem um exemplo de luta contra o aquecimento climático: "Fomos para a Normandia. Foi uma filmagem produzida ecologicamente. Tentámos ter a pegada de carbono mais leve possível. Fomos num carro elétrico, só comemos bio e local e recolhemos os detritos que, infelizmente, encontrámos na praia. No quadro desta filmagem tivemos uma verdadeira reflexão ecológica".

O Grande Prémio Internacional foi atribuído a Wallet, de Fatima Nofely. Num minuto, a realizadora esboça um mundo onde a água ficou tão escassa, que substituiu o dinheiro.

O prémio para o Melhor Guião foi para dois britânicos - Christopher Axworthy e Robert Peacock, que, com humor, evocam, em "Vacation", problemas do continente plástico no oceano pacífico.

Curtas-metragens que ajudam a tomar consciência do quanto é urgente lutarmos todos contra o aquecimento climático.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Campos Elísios transformam-se numa enorme mesa de piquenique

Três feridos em ataque à faca no metro de Lyon

Macron desloca-se à Nova Caledónia para tentar pôr termo à violência no arquipélago