Última hora
This content is not available in your region

Padre argentino acusado de pedofilia comete suicídio

Padre argentino acusado de pedofilia comete suicídio
Direitos de autor
Euronews
Tamanho do texto Aa Aa

O sacerdote Eduardo Lorenzo suicidou-se. O padre argentino estava envolvido num caso de abuso sexual de menores. Pôs fim à vida com um tiro no coração, na noite de segunda-feira, na sede da Caritas de La Plata, em Buenos Aires.

O suicídio aconteceu horas depois de ficar a saber que tinha sido emitido um mandado de prisão contra ele. A justiça argentina começou a investigar este padre há mais de 10 anos depois de uma denúncia, mas o mandado de prisão só se concretizou este ano - altura em que várias vítimas e testemunhas dos abusos vieram à luz.

María Belén Bartoli, irmã de uma das alegadas vítimas, manifesta a sua indignação relativamente ao desfecho do caso dizendo que a "responsabilidade é da Igreja e da justiça":"A responsabilidade pelo suicídio de Lorenzo é do arcebispo (Victor Manuel)" Tucho" Fernandez, da procuradora Ana Medina, que teve o caso nas mãos durante 11 anos sem nunca fazer justiça, e o juíz (...) Responsabilizamos a igreja e os tribunais e reforçamos que as únicas vítimas são as crianças - que tiveram a coragem e a valentia de denunciar este pedófilo".

O arcebispo de La Plata emitiu uma declaração na qual diz: "Depois da morte do nosso irmão Eduardo Lorenzo, que tirou a própria vida após longos meses de grande tensão e sofrimento, só nos podemos unir em oração por ele, para que o Deus o receba no amor infinito".

O caso de suicídio do padre Eduardo Lorenzo acontece numa altura em que o Papa Francisco decidiu eliminar o segredo papal, para que o silêncio não dificulte investigações sobre crimes sexuais dentro da Igreja Católica.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.