Última hora
This content is not available in your region

Ativistas com limitações físicas lutam por melhores acessos

Ativistas com limitações físicas lutam por melhores acessos
Direitos de autor
Current Time
Tamanho do texto Aa Aa

Circular numa cidade russa numa cadeira de rodas pode ser um desafio - principalmente durante os meses de inverno. Andrei Vinogradov, um ativista com limitações físicas de Tomsk, na Sibéria, diz que o governo não cumpriu as promessas para melhorar as acessibilidades e, por isso, raramente sai de casa.

Escrevi cartas às autoridades de Tomsk e elas prometeram construir pontos de acesso para cadeiras de rodas, quando as calçadas forem reconstruídas. Reuni-me com a administração da cidade, mas nada disso foi feito.
Andrei Vinogradov
Ativista com limitações físicas

Em 2011, a Rússia lançou um programa denominado Ambiente Acessível, para melhorar o acesso a instalações públicas para pessoas com deficiência. Tomsk faz parte do programa, mas os progressos são pouco visíveis.

Não conseguimos movimentar-nos livremente nalguns passeios, mas isso não é nada. Antes tínhamos de sair de casa e apanhar os transportes públicos para chegar às calçadas... Os prazos nunca são respeitados . Nada é feito a tempo. É um problema sistemático.
Aleksandr Gorbunov
Residente com deficiência

Existem mais de 27 mil pessoas com deficiência em Tomsk e apenas dois táxis públicos gratuitos para pessoas em cadeira de rodas. A cidade prometeu introduzir autocarros públicos adaptados e vai continuar com o programa até 2025.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.