Última hora
This content is not available in your region

António Costa pode ter violado segredo de justiça no caso de Tancos

Access to the comments Comentários
De  Ricardo Figueira
euronews_icons_loading
António Costa pode ter violado segredo de justiça no caso de Tancos
Direitos de autor  Euronews
Tamanho do texto Aa Aa

O caso do furto de equipamento militar na base de Tancos em 2017, e da alegada encenação da descoberta dos objetos furtados é o pano de fundo de novas tensões na justiça portuguesa. O juiz de instrução do processo, Carlos Alexandre, quer esclarecimentos sobre a decisão do primeiro-ministro António Costa, testemunha do ex-ministro da Defesa Azeredo Lopes, arguido no processo, em tornar públicas as respostas do interrogatório por escrito.

Isto depois de respostas parciais terem filtrado para a imprensa. Carlos Alexandre quer que o Ministério Público diga se houve ou não violação do segredo de justiça.

"Os atos de instrução estão sujeitos a segredo, pelo menos externo - ou seja, os advogados e sujeitos processuais têm direito a ver tudo. Cá fora, a questão não é tão líquida. É o Ministério Público que tem de analisar e dizer se entende haver violação do segredo de justiça ou não", disse Tiago Melo Alves, advogado de um dos arguidos no processo.

O sindicato dos magistrados do Ministério Público acusa o Conselho Consultivo da Procuradoria-Geral da República de ter emitido um parecer feito à medida para este caso, ao permitir à hierarquia da PGR intervir nos processos e desautorizar os magistrados em ações como a abertura ou o fecho de inquéritos, o que o sindicato considera um atentado à autonomia dos magistrados.