Polícia ligado à morte de George Floyd detido e acusado de homicídio

Violência policial gerou o caos em Minneapolis
Violência policial gerou o caos em Minneapolis Direitos de autor CRAIG LASSIG/EPA
De  Euronews com EFE
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Derek Chauvin colocou o joelho sobre o pescoço de George Floyd, enquanto este implorava para poder respirar.

PUBLICIDADE

O agora ex-agente da polícia Derek Chauvin, que nas imagens que correram a Internet é visto a pressionar o pescoço do cidadão afro-americano George Floyd até este deixar de respirar, foi hoje detido e acusado de homicídio em terceiro grau e homicídio involuntário.

A informação foi avançada pelo procurador do condado de Hennepin, Mike Freeman, que confirmou que Chauvin foi detido em Minneapolis, a cidade que vive agora em 'estado de sítio' pela revolta contra o racismo e a violência excessiva da polícia.

As acusações foram reveladas pouco depois do anúncio da detenção de Chauvin, que apareceu num vídeo gravado por transeuntes quando Floyd foi detido na passada segunda-feira, no qual ele foi visto com o joelho pressionado contra o pescoço da vítima, que se queixava de não conseguir respirar. 

Também esta tarde, o ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, manifestou a sua revolta com o caso, considerando que a morte de George Floyd "não deveria ser normal em 2020" nos EUA.

"Caso pretendamos que os nossos filhos cresçam num país à altura dos seus maiores ideais, podemos e devemos fazer melhor", sustentou Obama num comunicado que partilhou também na rede social Twitter.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Agentes da autoridade mortos a tiro no Estado de Nova Iorque

Nova Iorque sacudida por terramoto de 4,8 na escala de Richter, o maior em mais de 40 anos

Israel vai abrir dois corredores de ajuda humanitária em Gaza após aviso dos EUA