Última hora
This content is not available in your region

Espanha desespera por turistas

euronews_icons_loading
Espanha desespera por turistas
Direitos de autor  Manu Fernandez/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

Este é um verão atípico nas ruas de Madrid. Com pouco movimento, lojas de lembranças vazias e os autocarros para passear na cidade parados. A Plaza Mayor parece um deserto.

O cenário só agrada aos poucos turistas que passeiam na capital espanhola. Mas para quem vive do turismo numa das zonas mais populares da cidade é uma catástrofe. Cerca de 20% do comércio vai ter de fechar e muitos temem que seja para sempre

Jose Antonio Aparico, presidente da Associação de Restaurantes da Plaza Mayor, conta que num Verão normal, como o de 2019, há cerca de 50% de ocupação garantida mas que “agora são duas ou três mesas”. Diz-nos que centro está preparado para servir 10 milhões de turistas e que “só agora descobriram que eles simplesmente não existem".

Durante oito anos, James Blick da Devour Tours levou dezenas de turistas no seu passeio de tapas pelo centro da cidade. As restrições de viagem impostas pelos Estados Unidos e Reino Unido afastaram os seus principais clientes. Agora teme que a situação dure mais dois anos e que fique “literalmente sem tempo e dinheiro”.

As chegadas de visitantes estrangeiros caíram 98% em junho, apesar dos esforços governamentais para abrir o país depois de quatro meses de confinamento. Tal como no resto de Espanha, muitos hotéis de Madrid decidiram fechar as portas em Agosto

Clara Sanz, gestora de receitas do Hotel Europa, também sublinha que este mês de julho foi absolutamente invulgar com “uma queda livre na taxa de ocupação, de 70% para apenas 10%".

O otimismo possível

Depois de um Verão que muitos já dão como perdido, Espanha luta para salvar o setor turístico, que contribui com 11% do PIB do país.

A Câmara Municipal de Madrid tenta manter algum otimismo, uma vez que o turismo de congressos recomeça em Setembro. Sabine Schwanz, do departamento de Turismo da autarquia, destaca que "as pesquisas online sobre a capital espanhola têm aumentado muito e quase que atingem os níveis de 2019”.

Mais uma vez, tudo vai depender de como evoluir a pandemia.