EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Vice-presidente afegão sobrevive a ataque

Vice-presidente afegão sobrevive a ataque
Direitos de autor Rahmat Gul/Copyright 2019 The Associated Press. All rights reserved.
Direitos de autor Rahmat Gul/Copyright 2019 The Associated Press. All rights reserved.
De  Nara Madeira com AP, AFP
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Dez mortos e vários feridos é o resultado de uma embuscada contra um dos vice-presidentes do Afeganistão, Amrullah Saleh.

PUBLICIDADE

Um dos vice-presidentes do Afeganistão, Amrullah Saleh, foi alvo de uma emboscada. Foi em Cabul que a caravana de veículos em que seguia foi atingida por um projétil. 

A explosão matou dez civis e feriu mais de uma dezena de pessoas, entre eles vários guarda-costas do governante, como esclarecia um porta-voz do ministério do Interior. 

Saleh e o filho, que viajava com ele, sofreram apenas ferimentos ligeiros, como o próprio explicava num vídeo publicado nas redes sociais.

O gabinete da União Europeia no Afeganistão já condenou o ataque que considera um "ato desesperado" de quem quer pôr em causa "os esforços de paz". Já a NATO frisava que os "inimigos da paz" estão a ignorar a vontade do povo afegão de que o processo para a paz comece.

O ataque acontece no momento em que o governo se prepara para iniciar negociações com os talibãs, na capital do Qatar. A organização extremista já disse não ser responsável por este atentado, até porque se comprometeu a não realizar nenhum em zonas urbanas, num acordo assinado com os EUA.

No ano passado aquele que é o mais velho dos dois vice-presidentes do país sobreviveu a uma tentativa de assassinato, antes das eleições presidenciais. Nessa altura morreram pelo menos 20 pessoas e meia centena ficou ferida.

Outras fontes • TOLO News

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Processo de paz em risco no Afeganistão

Afeganistão quer paz duradoura

Três turistas espanhóis mortos a tiro no Afeganistão