Última hora
This content is not available in your region

David Cameron junta-se ao "lado não" da lei que muda acordo do Brexit

euronews_icons_loading
David Cameron junta-se ao "lado não" da lei que muda acordo do Brexit
Direitos de autor  Matt Dunham/2019 The Associated Press
Tamanho do texto Aa Aa

O ex-primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, junta-se ao "lado contra" do projeto de lei que muda acordo comercial entre Irlanda no Norte e Reino Unido.

A pressão aumenta sobre Boris Johnson, o primeiro-ministro do Reino Unido tem entre mãos o projeto de lei que pretende anular algumas obrigações do Reino Unido previstas no Protocolo da Irlanda do Norte, em relação à separação do bloco europeu.

Uma pressão que não vem só de dentro do partido, mas também do ex-governo.

O ex-primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, acredita que aprovar uma lei do parlamento e quebrar uma obrigação de tratado internacional é a "última coisa que deve ser feita".

Cameron diz que "está a decorrer uma negociação vital com a UE para se chegar a um acordo" e "é esse o contexto que deve ser mantido".

A legislação gerou ruído dentro da UE, porque caso este acordo não aconteça, Bruxelas perde "pulso" nos acordos do comércio entre o Reino Unido e a Irlanda do Norte.

Funcionários da Comissão europeia e diplomatas de estados membros estão frustrados e perplexos com as notícias da imprensa britânica deste fim de semana, incluindo um artigo escrito pelo primeiro-ministro Boris Johnson, que disse que a UE poderia implementar um bloqueio comercial entre o Reino Unido e a Irlanda do Norte como parte do acordo de retirada. Autoridades da UE rejeitaram essas alegações. Enquanto isso, as negociações comerciais entre a UE e o Reino Unido estão prestes a recomeçar em Bruxelas. Mas não há muita expectativa de progresso.

A Câmara dos Comuns está prestes a votar, num projeto que pode enfrentar ainda mais desafios, caso avance para a Câmara dos Lordes.