Hotéis portugueses perdem 70% e dão alerta de colapso

Cascais
Cascais Direitos de autor Armando Franca/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
De  Nuno PrudêncioEuronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Setor prevê perdas superiores a 3,6 mil milhões de euros.

PUBLICIDADE

Era o apelo possível no contexto atual: a campanha lançada em junhoincitava os portugueses para que viajassem dentro de portas para ajudar a salvar a economia. Mas feitas as contas, o resultado não foi exatamente o pretendido.

Num país onde mais de 14% do PIB depende do turismo, a Associação de Hotelaria estima agora quebras de receitas superiores a 70% e prejuízos acima dos 3,6 mil milhões de euros. As fórmulas previstas para os apoios, dizem os responsáveis, não funcionam.

Raul Martins, presidente da Associação de Hotelaria de Portugal, explica o seguinte: "Podemos dizer que reduzimos o horário de trabalho a todos em 30%. Mas os clientes vêm durante o mês todo ou durante todo o período de abertura do hotel. O hotel tem de estar aberto 24 horas. Não podemos dizer: 'agora trabalhamos 30% do tempo e agora vamos embora'".

Ao lado, em Espanha, o segundo país mais visitado do mundo viu circular cerca de 2,5 milhões de turistas no mês de julho, representando uma queda de 75% em relação ao ano anterior.

Já no país que mais turistas recebe a nível global, a França, olha-se para o que aí vem. As estações de esqui começaram a reabrir. Algumas já acumularam perdas de várias dezenas de milhões de euros. Para já, calculam-se menos 30% de reservas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Espanha vai acabar com os vistos gold para investidores imobiliários estrangeiros

Só em janeiro, Canárias receberam mais migrantes do que na primeira metade de 2023

Navio de cruzeiro com 1500 passageiros retido em Barcelona porque 69 bolivianos têm vistos falsos