Última hora
This content is not available in your region

Europa assinala Páscoa em confinamento

Access to the comments Comentários
De  euronews
euronews_icons_loading
Europa assinala Páscoa em confinamento
Direitos de autor  Natacha Pisarenko/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Em Espanha, pelo segundo ano consecutivo, as tradicionais procissões e celebrações da Semana Santa foram canceladas devido ao confinamento.

Ainda assim, houve quem tivesse conseguido assistir à missa. Em algumas localidades os residentes celebraram batendo em tambores à varanda.

Em Portugal, o cenário é idêntico.

Para muitos, a Páscoa será passada em casa. As deslocações para fora do concelho de residência têm que ser acompanhadas por justificações.

Para segunda-feira está previsto o início da segunda fase de desconfinamento com a reabertura de algumas escolas, museus e o fim da proibição de circulação entre concelhos.

O primeiro-ministro António Costa confirmou a redução no número de novas infeções que se situa nas poucas centenas.

Na Lituânia, as autoridades iniciaram inspeções mais estritas de passageiros nos caminhos-de-ferro e autocarros.

As deslocações entre municípios estão proibidas e é preciso apresentar justificações.

As medidas mais estritas permanecerão em vigor até 6 de abril.

Na Suíça, os tradicionais congestionamentos nas estradas nesta altura do ano regressaram.
As autoridades prevêm trãnsito intenso nas estradas durante o período da Páscoa.

Na região oriental da Áustria, recolher obrigatório e novas restrições estão em vigor em três províncias incluindo a capital, Viena.

Aqui as restrições apertam. A população não pode sair de casa e a utilização de máscaras em determinados espaços exteriores é agora obrigatória.

Ainda no leste da Europa, o aumento no número de infeções na Eslovénia e na Croácia levaram as autoridades a apertarem as medidas anti Covid.

Na quinta-feira, a Eslovénia iniciou o terceiro confinamento nacional com duração prevista até 11 de abril.

Em Itália, graças a um protocolo estrito de segurança, um paquete italiano organizou um cruzeiro de uma semana no Mediterrâneo.

Mesmo assim, apesar de ter capacidade para seis mil pessoas, apenas duas mil foram autorizadas a subir a bordo.