This content is not available in your region

Merkel receia propagação de Covid-19 nos jogos do Euro2020

Access to the comments Comentários
De  Francisco Marques
euronews_icons_loading
Merkel receia propagação de Covid-19 nos jogos do Euro2020
Direitos de autor  frame

Emmanuel Macron e Angela Merkel pediram esta sexta-feira precaução durante os jogos do Euro2020 para evitar um eventual agravamento da pandemia de Covid-19 a reboque dos ajuntamentos para ver o torneio.

O alerta surgiu na véspera da segunda jornada do grupo F, na qual Portugal defronta a Alemanha, em Munique, com quase 15 mil adeptos na Arena do Bayern, e a França joga contra a Hungria, em Budapeste, onde o Estádio Puskas vai estar lotado com 70 mil pessoas nas bancadas.

À margem dos recintos de jogos, um pouco por toda a Europa haverá ainda ajuntamentos de adeptos para assistirem aos jogos diante de ecrãs gigantes.

Merkel lembrou que apesar de a taxa de infeções ser atualmente baixa, as pessoas, e os adeptos de futebol em particular, não podem agir como se o SARS-CoV-2 já fizesse parte do passado.

"Mesmo se uma noite de verão como as que temos tido nos possa levar a pensar que sim. Podemos ver pelo exemplo de Lisboa como a situação se pode alterar rapidamente”, afirmou a chanceler alemã, recorrendo ao exemplo de Portugal, onde há poucas semanas a taxa de infeções e hospitalizações estava nos níveis mais baixos.

Agora, em consequência do desconfinamento em curso e do aumento da propagação da variante Delta ou indiana, foi inclusive levantada uma cerca sanitária de fim de semana na Área Metropolitana de Lisboa e vários outros concelhos fora deste perímetro estão também a recuar no processo de reabertura das atividades sociais.

Esta sexta-feira, Portugal registou 97,7 novas infeções por milhão de habitantes, numa tendência de agravamento acentuado ao longo da última semana, enquanto a Alemanha continua com a propagação em queda e esta sexta-feira registou apenas 13,2 casos por milhão de habitantes.

Com um processo de vacinação adiantado devido ao uso da russa Sputnik V, ainda não homologada pela União Europeia, a Hungria, onde o estádio que recebe o Euro admite lotação completa e as pessoas circulam na via pública sem ter de usar máscara, registou oficialmente esta sexta-feira 9,44 infeções por milhão de habitantes.

Reunião para preparar cimeira

Merkel e Macron reuniram-se esta sexta-feira, em Berlim, para preparar o Conselho Europeu de 24 e 25 de junho.

A pandemia vai estar na ordem de trabalhos, mas também a Turquia e a Rússia vão voltar a estar na mesa dos líderes europeus.

A crise de migrantes, que poderá voltar a agravar-se, associada ao futuro da Líbia e da Síria, será outro dos pontos chave a ser debatido.

Pelas redes sociais, Emmanuel Macron levantou um pouco mais do véu sobre a conversa mantida com Angela Merkel.

O Presidente garantiu que França e Alemanha vão "reabrir", mas também sublinhou que "o vírus
mantém-se presente no mundo".

"É por isso que a coordenação entre europeus é a chave, em particular no que toca à circulação de viajantes vindos do exterior da União Europeia e daqueles que aqui circulam. É nisso que estamos a trabalhar", garantiu o chefe do Eliseu.

Macron revelou-se satisfeito de "regressar à Alemanha um ano depois da última visita" e garantiu ter havido progresso "na iniciativa para um plano de relançamento europeu".

"Esse plano foi ativado e está a ser implementado nos nossos países. Vai transformar as nossas economias, responder aos desafios ecológicos e tecnológicos", assegurou o líder francês pelas redes sociais.