Última hora
This content is not available in your region

Compromisso para "erradicar" o Daesh

De  Giorgia Orlandi
euronews_icons_loading
Compromisso para "erradicar" o Daesh
Direitos de autor  Andrew Harnik/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

77 países e cinco organizações internacionais. Coligação global de combate ao terrorismo do Daesh acerta o passo em Roma. Momento para os Estados Unidos lançarem um apelo para que os aliados repatriem e reabilitem os 10 mil combatentes do grupo terrorista auto-denominado Estado Islâmico que estão em prisões curdas no norte da Síria. A estes somam-se mais de 60 mil mulheres e crianças também detidas.

Coube ao Secretário de Estado norte-americano fazer um elogio a Itália. Antony Blinken sublinha que o governo italiano é um dos poucos a repatriar estes combatentes e pede que as outras 60 nações com prisioneiros identificados façam o mesmo.

Há um forte empenho para "erradicar" completamente a organização, sobretudo em África. Há também um compromisso para estabilizar a área livre dos militantes do Estado Islâmico no Iraque e na Síria.

Itália é, para os Estados Unidos, um parceiro chave da NATO, além de um aliado crucial para assegurar o progresso na Líbia e em toda a área mediterrânica. O multilateralismo na relação com África vai estar no centro da reunião dos ministros dos Negócios Estrangeiros do G20, esta terça-feira, em Matera, Itália. Um encontro que vai contar também com o chefe da diplomacia norte-americana, Antony Blinken.