Última hora
This content is not available in your region

Centenas de padres polacos acusados de abuso

De  Teresa Bizarro com AP
euronews_icons_loading
Centenas de padres polacos acusados de abuso
Direitos de autor  AP / Czarek Sokolowski
Tamanho do texto Aa Aa

Aprofunda-se a crise na Igreja Católica polaca. Num ano e meio foram feitas 368 denúncias de abusos sexuais de menores por parte de padres e religiosos. Alegações que já foram alvo de investigação e só 10 por cento foram rejeitadas por falta de credibilidade.

As queixas foram apresentados entre julho de 2018 e dezembro de 2020. O episódio mais antigo data de 1958 e o mais recente terá ocorrido em 2020.

O relatório é revelado numa altura em que o Vaticano investiga a falta de reação por parte dos líderes da igreja polaca no combate aos comportamentos abusivos.

O Arcebispo Primaz da Polónia veio a público pedir desculpa às vítimas.

"Hoje, como representante da Conferência Episcopal para a protecção de crianças e jovens, gostaria de me dirigir àqueles que foram prejudicados e a todos aqueles que foram escandalizados pelo mal na Igreja e pedir-lhes de novo perdão," afirmou Wojciech Polak, em conferência de imprensa.

O Vaticano puniu recentemente alguns bispos e arcebispos polacos por negligência e impediu-os de participar em cerimónias eclesiásticas e laicais. A Santa Sé está também a investigar relatos de negligência do arcebispo reformado de Cracóvia, Cardeal Stanislaw Dziwisz, que antes disso serviu como secretário pessoal do Papa João Paulo II.