Erdogan insiste em solução de dois Estados para a ilha cipriota

Erdogan insiste em solução de dois Estados para a ilha cipriota
Direitos de autor AP Photo
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Na sua visita ao norte do Chipre, o presidente turco reafirmou o seu compromisso com uma solução de dois Estados, defendendo o seu plano para reabrir Varosha. Solução defendida durante as celebrações do 47° aniversário da invasão turca.

PUBLICIDADE

Na sua visita ao norte do Chipre, o presidente turco reafirmou o seu compromisso com uma solução de dois Estados, defendendo o seu plano para reabrir Varosha. Solução defendida durante as celebrações do 47° aniversário da invasão turca. Desde a invasão que a ilha foi dividida entre a República de Chipre, Estado-membro da União Europeia, e a República Turca do Norte de Chipre, reconhecida apenas por Ancara.

“Os cipriotas gregos insistem em adotar uma abordagem maximalista, desonesta e incompleta que está desligada da realidade. A vida recomeçará em Varosha... As portas de um novo período que vai beneficiar toda a gente, à luz dos estudos que respeitam os direitos de propriedade, vão ser abertas em Varosha ", afirmou o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan. 

O presidente de Chipre recordou os erros cometidos e as ilegalidades que ainda existem. Nikos Anastasiades comentou o anúncio de Erdogan e lembrou que os seus planos vão contra as resoluções do Conselho de Segurança. “Isto é inaceitável. Altera ou é um esforço para alterar o status quo de Famagusta, que está definido por resoluções do Conselho de Segurança. Vamos reagir apropriadamente”, afirmou o presidente do Chipre, Nikos Anastasiades. 

O chefe da diplomacia europeia considerou a decisão unilateral inaceitável e acusou Ancara pela situação em Varosha. Borrel pediu o levantamento imediato das restrições na área para a Força de Manutenção de Paz da ONU.

47 anos após a invasão turca, a exigência de uma solução justa, da reunificação e da saída de todas as tropas de ocupação continua poderosa, disse o primeiro-ministro grego. Num post no Facebook, Kyriakos Mitsotakis pediu à Turquia para se abster de ameaças, porque não serão toleradas.

 O presidente de Chipre convocou uma reunião do Conselho Nacional para esta quarta-feira de manhã, dia em que vai haver também uma reunião fechada do Conselho de Segurança.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Submarinos da NATO realizam exercícios de guerra no Mediterrâneo

Grécia mais acessível para os turistas turcos

Chuvas fortes causam pelo menos uma morte na Turquia