EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Filas aumentam nos Bancos de Cabul

Filas em Cabul
Filas em Cabul Direitos de autor Khwaja Tawfiq Sediqi/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved.
Direitos de autor Khwaja Tawfiq Sediqi/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Há contas congeladas e limites para os levantamentos. Afegãos falam em situação crítica

PUBLICIDADE

Há vários dias que milhares de pessoas esperam em filas para tentar levantar dinheiro em Cabul. Esperam uma oportunidade para levantar 20.000 afegânis, cerca de 200 dólares. É o limite que os talibãs impuseram porque há falta de moeda forte no país. Muitos destes homens disseram à Euronews que têm uma família ou salários para pagar e não têm acesso ao dinheiro.

Chegam de madrugada, esperam até ao início da tarde e muitas vezes sem sucesso. Dizem que a maioria das pessoas tem falta de comida porque os bancos não pagam o dinheiro do povo e que há pessoas nos hospitais sem dinheiro para pagar os tratamentos.

O país continua à espera de conhecer o novo governo. Os talibãs prometeram fazer um anúncio com a lista de todos os ministros, mas até agora não há notícias sobre o novo regime. Há relatos de desacordos no seio do grupo, o que pode explicar este atraso.

Os talibãs sabem que têm de agir rapidamente para conseguir o reconhecimento e a ajuda da comunidade internacional. Muitos países dizem que mantêm canais de comunicação abertos e ontem teve lugar a primeira reunião de alto nível para os talibãs, em Cabul. O subsecretário-geral da ONU para os assuntos humanitários foi reforçar o compromisso da organização com o país e com os mais vulneráveis, sublinhando que vai continuar a apoiar os afegãos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Afeganistão continua paralisado

Três turistas espanhóis mortos a tiro no Afeganistão

Terramoto no Afeganistão pode ter feito 3 mil mortes, dizem autoridades talibãs