Lisboa vira à direita

Carlos Moedas
Carlos Moedas Direitos de autor RODRIGO ANTUNES/EPA/LUSA
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Carlos Moedas (PSD) será o novo Presidente da Câmara da capital portuguesa, roubada ao domínio dos socialistas. PS mantém domínio a nível nacional.

PUBLICIDADE

Carlos Moedas (PSD) vai ser o novo presidente da câmara municipal de Lisboa. O antigo comissário europeu, apoiado por uma vasta coligação de centro direita, sucede a Fernando Medina (PS) e consegue uma lança certeira no coração do PS, que mantém a maioria dos municípios portugueses, mas perde a capital. Para ele, é algo que não vai parar por aqui.

"Hoje iniciamos um novo ciclo. Novos tempos. Acredito profundamente, convictamente, que este novo ciclo começa em Lisboa mas não vai acabar em Lisboa", disse o candidato social-democrata no discurso de vitória.

Este novo ciclo começa em Lisboa mas não vai acabar em Lisboa
Carlos Moedas
Presidente da Câmara eleito de Lisboa

Para o primeiro-ministro e líder do PS António Costa, apesar deste revés, o importante são os resultados nacionais.

"Do conjunto do voto do país, o cartão que foi apresentado é que há uma vitória nacional do PS. O PS continua a ser o maior partido nas Câmaras Municipais e nas Freguesias. Essa era a meta que tínhamos estabelecido e, portanto, por mais que queiram torcer, é uma realidade que é indesmentível. O PS venceu estas eleições.

O PS continua a ser o maior partido nas Câmaras Municipais e nas Freguesias. Essa era a meta que tínhamos estabelecido.
António Costa
Primeiro-Ministro e líder do PS

No Porto, o independente Rui Moreira é reeleito para um terceiro mandato, mas perde a maioria absoluta. Depois do PS e do PSD, a CDU, coligação de comunistas e verdes, assume-se como terceira força autárquica, com 19 municípios, tal como os vários movimentos de independentes.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Orçamento do Estado 2022 ameaça antecipar eleições

Quem são os novos ministros do Governo de Luís Montenegro

É oficial. Marcelo marca eleições antecipadas na Madeira para 26 de maio