Confrontos no porto de Trieste por causa do passe sanitário

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Confrontos no porto de Trieste por causa do passe sanitário
Direitos de autor  AFP

Os trabalhadores do porto de Trieste, em Itália, envolveram-se em confrontos com a polícia, na manhã desta segunda-feira, durante os protestos contra o passe sanitário - Green Pass - para acesso ao local de trabalho.

A polícia utilizou gás lacrimogéneo para dispersar a multidão. Os trabalhadores tencionam manter o porto bloqueado até quarta-feira e ameaçam entrar em greve por tempo indeterminado.

A obrigatoriedade do passe sanitário para todos os trabalhadores tem provocado protestos em toda a Itália. No sábado, milhares de pessoas protestaram nas ruas das principais cidades, depois de a apresentação do passe sanitário se ter tornado obrigatória, na véspera.

Desde sexta-feira, qualquer pessoa apanhada no local de trabalho sem um Green Pass arrisca uma multa entre 600 e 1.500 euros, enquanto os empregadores podem ser multados entre 400 e 1.000 euros se não efetuarem os controlos.

O governo afirma que a medida é necessária para evitar um novo bloqueio da economia, mas os sindicatos falam de injustiça porque quem não tem certificado tem de pagar testes para poder trabalhar.

Mais de 85% dos italianos com mais de 12 anos receberam pelo menos uma vacina, qualificando-se assim para o passe, mas estima-se que até três milhões de trabalhadores não tenham sido vacinados.

Segundo os sindicatos, alguns são contra as vacinas, alguns têm medo, enquanto outros - trabalhadores indocumentados e estrangeiros, nomeadamente - relataram dificuldades no acesso ao programa de vacinas a nível nacional.

Segundo as autoridades, a procura de vacinas tem aumentado nas últimas semanas.

A terceira maior economia da zona euro deverá registar um crescimento de quase seis por cento este ano, após uma recessão devastadora induzida pela Covid-19 e o governo não quer que haja interferência nesta previsão.

O lobby empresarial Confindustria tem estado entre os mais firmes apoiantes da medida, que se segue a uma iniciativa semelhante adotada na Grécia no mês passado.