This content is not available in your region

Maioria das jovens afegãs acolhidas em Portugal não são jogadoras de futebol

Access to the comments Comentários
De  Nara Madeira  com AP
euronews_icons_loading
Lisboa, Portugal
Lisboa, Portugal   -   Direitos de autor  Euronews/AP

No final de setembro Portugal acolheu 26 jovens afegãs e as suas famílias. Têm idades entre os 14 e os 16 anos e eram dadas como membros da equipa de futebol júnior feminina. Mas afinal, apenas sete são reconhecidas pela treinadora como fazendo parte da equipa. Samia Hamasi diz que nunca foi contactada em todo este processo. A informação é avançada numa investigação feita pelo canal público de televisão português RTP.

As jovens chegaram a Lisboa numa operação coordenada por uma organização não-governamental dos EUA. Farkhunda Muhtaj, que se apresentou como capitã da equipa, admitiu à RTP que quando foram evacuadas lhe foi dito que eram todas jogadoras de futebol.

O governo português desvaloriza, de alguma forma, esta nova informação. O gabinete do ministro de Estado e da Presidência Portuguesa esclarecia à agência de notícias espanhola EFE que se tratou de uma operação de ajuda humanitária e que o importante era "salvar vidas, não seleccionar futebolistas profissionais".

Já o ministro dos Negócios Estrangeiros português, Augusto Santos Silva, explicava ao referido órgão de comunicação que o executivo foi contactado pelas autoridades dos EUA para receber estas jovens e garantiu que foi feito um estudo de segurança à chegada das cerca de 80 pessoas.

Outras fontes • RTP