This content is not available in your region

Nato recusa veto russo contra a Ucrânia

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Jens Stoltenberg
Jens Stoltenberg   -   Direitos de autor  JOHN THYS/AFP or licensors

A relação da NATO com a Ucrânia mantém-se "invariável" e a Aliança Atlântica recusa excluir a adesão de Kiev, como exige a Rússia.

A posição oficial da organização foi frisada pelo secretário-geral Jens Stoltenberg, numa conferência de imprensa em Bruxelas ao lado do novo chanceler alemão Olaf Scholz.

Jens Stoltenberg, secretário-geral da NATO:"A posição da NATO no que diz respeito à relação com a Ucrânia mantém-se inalterada. É um princípio fundamental que cada nação tem o direito de escolher o seu caminho. Isto está estipulado em muitos documentos e acordos que a Rússia também assinou [...] incluindo acordos de segurança de que quer fazer parte."

A Rússia exige a retirada "formal" da decisão de 2008 que abriu a porta à entrada da Ucrânia na NATO, temendo a expansão da organização no Leste da Europa.

Sergei Ryabkov, vice-ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia:"Antes de ser demasiado tarde, precisamos de evitar uma nova crise de mísseis na Europa. O aparecimento de mísseis de curto e médio alcance neste território é inaceitável, é uma via direta para acelerar a confrontação."

Para frisar a crescente tensão entre Moscovo e o Ocidente, o Ministério russo da Defesa diz ter intercetado e acompanhado esta sexta-feira um avião de reconhecimento da Marinha dos Estados Unidos sobre o Mar Negro.