Duma ratifica acordo com regiões separatistas da Ucrânia

Duma ratifica acordo com regiões separatistas da Ucrânia
Direitos de autor AFP via service de presse de la douma
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O Kremlin anunciou o envio de tropas para Donetsk e Luhansk, mas diz-se aberto à diplomacia. Presidente ucraniano pede a suspensão imediata do gasoduto que vai fornecer gás natural da Rússia à Alemanha.

PUBLICIDADE

Com uma ovação de pé, a Duma celebrou, esta terça-feira a ratificação por unanimidade dos tratados de amizade, cooperação e assistência mútua com as autoproclamadas repúblicas do leste da Ucrânia

A votação dos deputados russos decorreu apenas algumas horas depois de Vladimir Putin ter reconhecido a independência das regiões separatistas, em guerra com Kiev desde 2014.

E apesar de o presidente ter ainda anunciado o envio de "forças de manutenção da paz" para garantir a segurança dos territórios, o Kremlin garante continuar aberto ao diálogo.

De acordo com a porta-voz do ministro russo dos Negócios Estrangeiros, Moscovo mantém-se disponível "para um processo de negociação" e será "sempre a favor da diplomacia".

Mas as boas intenções da Rússia não convenceram o presidente ucraniano.

Em Kiev, onde recebeu o homólogo da Estónia, Volodymyr Zelensky pediu o apoio da comunidade internacional.

"Este é um novo ato de agressão contra a Ucrânia que necessita de uma reação imediata da comunidade internacional e dos nossos parceiros internacionais. Na nossa opinião, com esta decisão, a Federação Russa está a criar uma base jurídica para novas agressões armadas contra o Estado ucraniano", afirmou o chefe de Estado ucraniano.

O líder ucraniano pediu ainda a interrupção imediata do Nord Stream 2, um projeto de canalização de gás natural da Rússia para a Alemanha através do Mar Báltico.

A Alemanha deu já um primeiro passo e confirmou a suspensão da certificação necessária para o gasoduto começar a funcionar.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

"Guerra Fria 2.1": Rússia admite dialogar sem ceder, Ucrânia reitera soberania

Alemanha suspende certificação do Nord Stream 2

Rússia reconhece regiões separatistas ucranianas