This content is not available in your region

Zelenskyy recorre ao Tribunal Penal Internacional para travar a guerra

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Zelenskyy na alocução deste domingo
Zelenskyy na alocução deste domingo   -   Direitos de autor  UKRAINE PRESIDENCY/AFP

No mesmo dia em que Volodymyr Zelenskyy anuncia ter pedido ao Tribunal Penal Internacional de Haia que faça a Rússia parar as hostilidades, Vladimir Putin relembrou palavra por palavra porque é que há uma guerra em curso.

Minsk, não. Há outras cidades que podem acolher o encontro.
Volodymyr Zelenskyy
Presidente ucraniano

"Queremos enviar um agradecimento especial a todos aqueles que têm conduzido de forma heroica o seu dever militar nesta operação de assistência às repúblicas populares do Donbass. Desejo-vos sucesso e o melhor", declarou o presidente russo.

O Kremlin propôs ao presidente ucraniano uma ronda de conversações na cidade de Gomel, na Bielorrússia, este domingo. Zelenskyy afirma que, sim, quer negociar, mas não num país que o esteja a atacar. "Por isso é que dizemos: Minsk, não. Há outras cidades que podem acolher o encontro. Claro que queremos a paz. Queremos reunir-nos e queremos acabar com a guerra", salientou.

Zelenskyy defendeu também que a ONU deveria tomar uma posição e expulsar Moscovo do Conselho de Segurança, denunciando que está a decorrer um ato de genocídio na Ucrânia.