This content is not available in your region

"Ser o líder do mundo é ser o líder da paz" - Zelenskyy apela ao coração dos EUA

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Volodymyr Zelenskyy em videoconferência com o Congresso dos Estados Unidos
Volodymyr Zelenskyy em videoconferência com o Congresso dos Estados Unidos   -   Direitos de autor  AP/AP

Num discurso emocional ouvido com atenção no auditório do Congresso dos Estados Unidos (EUA), o presidente ucraniano pediu esta quarta-feira o reforço do apoio de Washington à Ucrânia. Volodymyr Zelenskyy lembrou o céu negro dos ataques a Pearl Harbour e do 11 de Setembro para lembrar que Ucrânia está a experienciar isso "todos os dias", há três semanas.

Aparecendo com a t-shirt verde do exército, que se tornou na sua imagem de marca, dirigiu-se diretamente a Joe Biden, o presidente dos Estados Unidos: "Ser o líder do mundo é ser o líder da paz," declarou.

Se há uma semana, perante o parlamento britânico, invocou Shakespeare, desta vez, parafraseou Martin Luther King Jr. Em vez de "eu tenho um sonho" disse "eu tenho uma necessidade": pedindo a zona de exclusão aérea sobre a Ucrânia.

"Fechem os céus. Isto é pedir demasiado?, questionou Zelenskyy. "Se é pedir demasiado, pedimos uma alternativa", sublinhou o líder ucraniano. "Sabem o tipo de sistemas de defesa de que precismaos, precisamos de aviação poderosa e forte para proteger as nossas pessoas, a nossa terra e a nossa liberdade", garantiu, sublinhando que os EUA êm esses sistemas.

Por mais do que uma vez durante a mensagem que enviou ao congresso, pediu a punição para os responsáveis pela guerra e apelou a todas as empresas que boicotem a economia russa.

"A Ucrânia está a ser atacada agora e precisa de vocês, da vossa ajuda", apelou, afirmando que a Rússia tornou o céu ucraniano "numa fonte de morte para milhares de pessoas". "É um terror que não se via há anos", sublinhou.

Zelensky pediu que se pare a invasão russa e afirmou que a Rússia não atacou só a Ucrânia, mas os valores básicos humanos partilhados também pelos americanos.