EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Três europeus desaparecidos em formação de mergulho na Malásia

Buscas na Malásia por três europeus desaparecidos durante formação de mergulho
Buscas na Malásia por três europeus desaparecidos durante formação de mergulho Direitos de autor AFP
Direitos de autor AFP
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

As autoridades da Malásia buscam, há três dias, dois adolescentes e um adulto europeus desaparecidos durante um treino de mergulho ao largo de Mersing

PUBLICIDADE

As autoridades da Malásia prosseguiram, pelo terceiro dia, sem sucesso, as buscas de três cidadãos europeus, dois dos quais adolescentes, que desapareceram durante uma formação de mergulho, ao largo de Mersing, numa ilha do sul da Malásia.

A instrutora de mergulho, a norueguesa Kristine Grodem, foi resgatada na quinta-feira. Uma jovem francesa, Alexia Alexandra Molina, de 18 anos; um jovem holandês, Nathen Renze Chesters e o pai, cidadão britânico, Peter Chesters, estão desaparecidos

Segundo a instrutora, os quatro emergiram em segurança na quarta-feira à tarde, mas mais tarde afastaram-se do barco e foram separados por uma forte corrente.

O grupo estava a mergulhar a cerca de 15 metros (50 pés) de profundidade numa ilha ao largo da cidade de Mersing no sul do estado de Johor.

Grodem, de 35 anos, foi resgatado por um rebocador a cerca de 22 milhas náuticas (40 quilómetros) do local do mergulho.

As autoridades colocaram nas buscas um jato Bombardier, que pode voar mais tempo e cobrir mais área numa busca alargada, para além de três helicópteros, 11 barcos e cerca de 100 pessoas, incluindo mergulhadores de resgate.

As condições atmosféricas são boas. As buscas serão retomadas este sábado.

O capitão do barco foi detido para investigação adicional, e o governante do estado de Johor suspendeu as atividades de mergulho ao largo de Mersing.

Há cinco ilhas ao largo da cidade que são locais de mergulho populares para os residentes locais e turistas.

As fronteiras da Malásia reabriram a 1 de abril a estrangeiros, após terem estado fechadas durante mais de dois anos, devido à pandemia da COVID-19.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Turismo de massas em Espanha: as Ilhas Baleares estão a afogar-se?

Excesso de turismo em Atenas: a ameaça e as soluções em estudo

Ocupação hoteleira em Paris desce em flecha por causa dos Jogos Olímpicos