Líderes dos Balcãs unidos no combate ao tráfico de seres humanos

Ilir Meta, presidente da Albânia
Ilir Meta, presidente da Albânia Direitos de autor GENT SHKULLAKU/AFP or licensors
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O Balkans Freedom Forum que decorreu em Tirana, na Albânia, foi dedicado à análise do tráfico de seres humanos na região e às medidas de combate

PUBLICIDADE

A atual tendência do tráfico de seres humanos nos Balcãs foi o tema do Balkans Freedom Forum que decorreu em Tirana, na Albânia.

O fenómeno é particularmente preocupante na região dos Balcãs.

O presidente da Albânia, que patrocina o evento, fala de "escravatura moderna", que continua a ser um problema também na Europa e no mundo.

Ilir Meta, disse: "Uma parte significativa das vítimas identificadas são cidadãos da nossa região". Uma série de medidas tomadas ao longo dos anos, mas o tráfico de crianças continua a ser significativo. A pandemia da COVID-19 tornou as crianças mais expostas ao tráfico. As medidas devem ser integradas no sistema infantil, reunindo serviços sociais e educacionais. A luta contra o tráfico deve basear-se na prevenção do fenómeno. Nesta situação, precisamos de aumentar a cooperação e coordenação através das autoridades, bem como a cooperação regional. Por outro lado, a situação económica no nosso país deve ser uma prioridade. O alvo dos traficantes são as pessoas em maiores dificuldades, pessoas em necessidade desesperada de trabalho, aquelas que facilmente caem nas mãos do tráfico. Uma economia mais inclusiva, o Estado de direito, não só melhoraria a vida dos nossos cidadãos, como reduziria significativamente o tráfico de qualquer tipo".

Meta acrescentou que "tal como previsto na estratégia contra o crime organizado, 2021-2025 e no Plano de Ação Nacional, quando o tráfico de pessoas requer garantias preventivas e parceria, proteção e assistência, é necessária investigação para os traficantes, incluindo quaisquer funcionários colaboradores. "Há necessidade de formação contínua da Polícia do Estado, procuradores, para uma rápida investigação e repressão do tráfico".

Por seu turno, a presidente do Kosovo, Vjosa Osmani, referiu: "A presença de diferentes sistemas com casos inconsistentes para a identificação de casos de tráfico na região, a inconsistência de definições e várias restrições institucionais, mas também o apoio quase inexistente na polícia e o não envolvimento de todos os inspetores do trabalho na identificação dos casos teve um impacto direto e negativo na identificação bem-sucedida do tráfico".

Os líderes e os especialistas tentam identificar as disfunções dos sistemas que limitam o combate ao tráfico de seres humanos, reconhecendo que, apesar do esforço dos estados, há margem para melhorias para cumprir as normas europeias.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Milhares de albaneses manifestam-se contra aumento do custo de vida

Alargamento da União Europeia: sonho ou realidade?

Cimeira dos Balcãs Ocidentais: Zelenskyy pede mais armas e munições para travar Putin