This content is not available in your region

Ucrânia luta por Severodonetsk, Rússia quer conquistar a cidade

Access to the comments Comentários
De  Nara Madeira  com AP
euronews_icons_loading
Cidades ucranianas destruídas pela guerra
Cidades ucranianas destruídas pela guerra   -   Direitos de autor  Natacha Pisarenko/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved

A Rússia está a concentrar grande parte dos seus esforços militares na batalha por Severodonetsk mas as autoridades ucranianas dizem estar a conseguir conter os avanços nesta cidade chave da região do Donbass. A conquista total é um dos objetivos, declarados, de Moscovo. Uma "guerra de desgaste", a longo prazo, como lhe chamou o Secretário-geral da NATO, que se acredita estar a causar danos colaterais substanciais, entre eles baixas civis.

O porta-voz do Estado-Maior General das Forças Armadas da Ucrânia, Oleksandr Shtupun, explicava que o inimigo está a bombardear as posições das tropas ucranianas na direção de Donetsk, com morteiros, canhões e mísseis por terra e ar. Para já os alvos principais são Severodonetsk e Bakhmut.

Os combatentes mortos de ambos os lados

Um número impreciso de militares estrangeiros - que lutavam, voluntariamente, ao lado das forças ucranianas - foram mortos. Enquanto Moscovo vai contabilizando os alvos destruídos, entre eles aquilo a que chamou de "centro de destacamento de mercenários estrangeiros".

O Porta-voz do ministério da Defesa russo, Igor Konashenkov, reportava o lançamento aéreo de "mísseis de alta precisão" que atingiram uma infraestrutura de treino das Forças Armadas ucranianas, perto da aldeia de Stetskivka, na região de Sumy. Um centro onde, afirmava este responsável, instrutores estrangeiros treinaram militares ucranianos para operarem artilharia pesada. Konashenkov referia a destruição de uma base de mercenários estrangeiros em Dachne, na região de Odessa, num "ataque com mísseis".

Na frente militar, fontes ocidentais apontam para cerca de 12.000 soldados russos mortos, mas o número pode ser superior. O ministério da Defesa britânico dizia que estas perdas, registadas em três meses, estão próximas das registadas em nove anos pelo exército soviético no Afeganistão.

Já as forças ucranianas estão a perder, de acordo com o presidente do país, entre 60 a uma centena de soldados, em combate, todos os dias. Uma informação avançada pelo Presidente Volodymir Zelenskyy a meios de comunicação dos EUA.

As baixas civis e os deslocados

Serão mais de 20 mil os civis mortos neste conflito, de acordo com as autoridades ucranianas.

Na conta de Twitter do parlamento ucraniano perguntava "quantas vidas inocentes" se devem perder "nesta guerra, quantas cidades devem ser destruídas" para que os membros da NATO encerrem, "finalmente, o céu ucraniano?"

Na sexta-feira, o coordenador da ONU na Ucrânia, Amin Awad, falava em quase 14 milhões de ucranianos"forçados a fugir das suas casas, na sua maioria mulheres e crianças", um fenómeno "sem precedentes na história".