EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Comércio Livre em África precisa de infraestruturas

Wamkele Mene, secretário-geral da Zona de Comércio Livre Continental Africana
Wamkele Mene, secretário-geral da Zona de Comércio Livre Continental Africana Direitos de autor Euronews
Direitos de autor Euronews
De  euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O sistema de pagamentos pan-africano levou a Luanda o secretário-geral da Zona de Comércio Livre Continental Africana. Plataforma pode trazer poupanças de cinco mil milhões de euros. Mas industriais recordam falta de infraestruturas para transporte de mercadorias.

PUBLICIDADE

A falta de infraestruturas é o principal entrave ao comércio intra-africano. Os avanços em domínios como o Sistema Pan-Africano de Pagamentos e Liquidações(PAPSS),não escondem a necessidade de mais e melhores ligações para que as mercadorias possam cruzar fronteiras e concretizar a Zona de Comércio Livre Continental Africana (ZCLCA).

Esta é a análise de José Severino, presidente da Associação Industrial de Angola:

!Apesar do grande esforço que tem sido feito, na verdade os objectivos estão muito longe de ser atingidos que é a integração africana. Um dos grandes problemas são as infraestruturas. Naturalmente é possível começar a pensar na eficiência dos sistemas de pagamento, na eficácia dos sistemas de pagamento e também na questão dos créditos entre os nossos bancos, que não existe. Nós estamos sempre dependentes da moeda externa que funciona com os sistemas digitais. Não é por aí que a interação económica não se desenvolve. O que nós temos grandes problemas são as infraestruturas para as trocas comerciais.

A plataforma de pagamentos pan-africana entrou em funcionamento em modo experimental há um ano. Angola recebeu esta sexta-feira o diretor-geral deste sistema, Mike Ogbalu, e o secretário-geral da zona de comércio livre, Wamkele Mene. Estima-se que a sua implementação vá permitir poupar mais cinco mil milhões de euros por ano em custos de transações.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

África cria zona de comércio livre

União Africana prepara lançamento da zona de comércio livre

Polícia usa gás lacrimogéneo para dispersar novos protestos no Quénia