This content is not available in your region

Guerra na Ucrânia sem condições para solução diplomática em breve

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Vice-secretário-geral da NATO, Mircea Geoană, manifestou-se em entrevista exclusiva à Euronews
Vice-secretário-geral da NATO, Mircea Geoană, manifestou-se em entrevista exclusiva à Euronews   -   Direitos de autor  Euronews

Na região ucraniana do Donbass prosseguem os bombardeios russos e na região ocupada de Kherson, a sul, o exército ucraniano tenta ganhar controlo com uma contraofensiva.

Mas a guerra na Ucrânia também se trava pelo controlo do Mar Negro, e tudo indica que está para durar, explicou o vice-secretário-geral da NATO, Mircea Geoană, em entrevista à Euronews.

"Provavelmente, o destino e a finalidade da guerra serão decididos no campo de batalha. As condições políticas entre os dois lados estão muito distantes para que possamos ter condições para uma solução diplomática, por enquanto. Então, haverá mais guerra, infelizmente, mais destruição. A certa altura, esperamos que estejam reunidas as condições para que seja identificada uma solução política", sublinhou Geoană.

Amdra Diaconescu, Euronews - mas o facto de os russos se terem retirado da Ilha da Serpente é um sinal de que a guerra acabará eventualmente?

Mircea Geoană, vice-secretário-geral da NATO - sabemos que prestam muita atenção à recaptura da ilha da serpente. Isto também é muito importante para todo o Mar Negro. Fica a apenas 40 quilómetros do porto de Constança e da foz do rio Danúbio. É uma área estratégica. E o fato de a Rússia ter sido forçada a abandonar a ilha por causa dos ataques massivos e vigorosos da Ucrânia é um sinal muito bom. Além disso, é uma vitória tática também para o moral dos ucranianos. Representa muito. E, claro, é importante por causa da liberdade de navegação no Mar Negro.

A ilha da Serpente, no mar Negro, tornou-se num símbolo da determinação ucraniana.

Foi tomada pela Rússia no primeiro dia da invasão e recentemente recuperada pela Ucrânia.