This content is not available in your region

Papa diz abrandar nas viagens e deixa "porta aberta' a substituição

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
AP
AP   -   Direitos de autor  Guglielmo Mangiapane/AP

O Papa Francisco diz que tem de abrandar nas viagens devido à saúde e à idade e colocou o lugar à disposição para quem o queira substituir. 

Depois de cinco dias no Canadá, o líder da Igreja Católica está de regresso ao vaticano.

"Com toda a honestidade, não é uma catástrofe, pode mudar-se de Papa e não há problema."
Papa Francisco
Líder da Igreja Católica

Na viagem, perante os jornalistas presentes no avião, o Papa disse que tem de abrandar nas viagens devido às limitações de saúde e deixou uma 'porta aberta' a quem o queira substituir no cargo.

Aos 85 anos, Francisco diz que tem de se "preservar" nos próximos tempos, "para poder continuar a servir a igreja". Ou então "pensar na possibilidade" de se afastar. 

"Com toda a honestidade, não é uma catástrofe, pode mudar-se de Papa e não há problema.", disse Francisco. 

A "peregrinação de penitência" de Francisco

A viagem do Papa Francisco ao Canadá durou cinco dias. O líder da Igreja Católica chamou-lhe a "peregrinação de penitência": Um pedido de perdão da Igreja Católica que durante 170 anos obrigou perto de 150 mil crianças de famílias indígenas a abandonar a comunidade para ingressarem no sistema público de ensino. A maioria em colégios geridos pela Igreja.

Para trás deixaram a família, a língua e a cultura indígena, para abraçar um projeto do estado que mais tarde veio a revelar abusos físicos e sexuais a milhares de menores.

Mais de 4 mil crianças morreram nos colégios vítimas de abusos e de desnutrição.