Procurador-geral argentino pede 12 anos de prisão para Kirchner

A vice-presidente do país é acusada de estar envolvida num esquema de corrupção.
A vice-presidente do país é acusada de estar envolvida num esquema de corrupção. Direitos de autor AP Photo
Direitos de autor AP Photo
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Vice-presidente do país é acusada de estar envolvida num esquema de corrupção, que terá lesado o Estado em mais de mil milhões de dólares.

PUBLICIDADE

Na Argentina, o procurador-geral, Diego Luciani, pediu 12 anos de prisão para Cristina Kirchner. Para além disso, pediu que a vice-presidente do país seja impedida de exercer cargos públicos para o resto da vida.

"Solicitamos que Cristina Elizabeth Fernandez seja condenada a 12 anos de prisão e a uma pena especial de desqualificação perpétua para o exercício de cargos públicos, acessórios legais e pagamento dos custos, considerando-a criminalmente responsável pelos crimes de associação ilícita agravada devido à sua qualidade de líder", defendeu Luciani.

Kirchner é acusada de estar envolvida num esquema de corrupção e negligência, que terá lesado o Estado em mais de mil milhões de dólares, durante o período em que foi Presidente do país.

Perto da casa da atual governante, manifestaram-se tanto apoiantes como opositores.

Ela roubou, está completamente provado. E sim, eu considero que ela tem de ir para a prisão. Nada mais", disse um dos manifestantes.

Por outro lado, um apoiante defendeu que aqueles que gostam de Kirchner, irão manifestar-se nas ruas, pois "a governante salvou uma geração".

De salientar que a vice-presidente nega as acusações e tem denunciado de forma repetida que é alvo de perseguição política. A previsão é que o veredicto do julgamento seja conhecido até ao final deste ano.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Milhares exigem a retirada de imunidade de Cristina Kirchner

Argentinos saem à rua contra projeto-lei controverso do Presidente Milei

Candidato da extrema-direita vence presidenciais na Argentina