EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

NATO disposta a pagar preço por apoiar a Ucrânia

Secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg
Secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg Direitos de autor Diritti d'autore: Olivier Matthys/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved
Direitos de autor Diritti d'autore: Olivier Matthys/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A NATO está disposta a pagar o preço por apoiar a Ucrânia. A afirmação foi feita pelo secretário-geral da organização, na assembleia parlamentar da Aliança, em Madrid.

PUBLICIDADE

A NATO está disposta a pagar o preço por apoiar a Ucrânia. A afirmação foi feita pelo secretário-geral da organização, na assembleia parlamentar da Aliança, em Madrid. 

O anfitrião da reunião, o primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, mandou uma mensagem ao presidente russo: “Seria bom para todos nós enviar uma mensagem forte a Vladimir Putin para deixar a Ucrânia em paz, respeitar a sua integridade territorial, a sua soberania nacional e a sua capacidade de escolher livremente o seu futuro”.

Por videoconferência, o presidente ucraniano reiterou o desejo do seu povo de aderir à Aliança Atlântica e à União Europeia. 

O secretário-geral da NATO disse que é necessário continuar a apoiar a Ucrânia. "Precisamos perceber que esta guerra provavelmente terminará em algum momento na mesa de negociações. Mas também sabemos que o resultado dessas negociações, a nossa esperança, depende da força no campo de batalha", afirmou Jens Stoltenberg. 

Stoltenberg realçou que o preço que a Aliança vai pagar se a Ucrânia não travar a Rússia será muito mais do que dinheiro e que os ucranianos estão a pagar com sangue.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

NATO discute impacto da guerra na Bósnia, Geórgia e Moldávia

Membros da NATO pretendem restaurar a energia na Ucrânia

Russo que desertou em helicóptero do exército é morto a tiro em Espanha