EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Intensos combates na península de Kinburn no leste da Ucrânia

Bandeira a meia haste no monumento à Pátria Ucraniana, em Kiev
Bandeira a meia haste no monumento à Pátria Ucraniana, em Kiev Direitos de autor Bernat Armangue/Copyright 2022 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Bernat Armangue/Copyright 2022 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

As forças ucranianas concentram todos os esforços na libertação da península estratégica de Kinburn que dá acesso a Kherson e Mykolaiv

PUBLICIDADE

No leste da Ucrânia continuam os intensos combates na linha da frente. As forças ucranianas tentam libertar a península estratégica de Kinburn, no rio Dnipro, um território que dá acesso tanto a Kherson como a Mykolaiv

O terreno está minado e a primeira coisa a fazer para avançar é limpá-lo.  Valin, um engenheiro do exército ucraniano diz: "Pesquisámos dois hectares e encontrámos cinquenta minas. Dez delas eram visíveis".

Mais acima, na região oriental de Donetsk, os soldados ucranianos usam um lançador de roquetes Bureviy para atingir as linhas de abastecimento russas.

O soldado ucraniano Dmytro, explica como procedem: "Avançamos para uma posição, posicionamos o carro, apontamos e disparamos. Depois disso, rapidamente enrolamos tudo e deixamos o local de onde disparámos".

Na conferência de imprensa de terça-feira o Ministério da Defesa da Rússia afirmou que as tropas russas atingiram um depósito de armas ucraniano em Zaporíjia, mataram dezenas de tropas ucranianas na região de Donetsk, Kharkiv, Kherson e Luhask e abateram nove drones ucranianos não tripulados.

Para além dos combates diários no terreno, segundo o presidente Zelenskyy, na última semana a Rússia fez 258 ataques aéreos em 30 povoações da região de Kherson.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Seis milhões de pessoas sem eletricidade na Ucrânia

Rússia acusa Nato de alimentar conflito

Aos poucos, aldeias de Kharkiv e Zaporíjia vão sendo reconstruídas