EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Polónia e Lituânia prometem mais ajuda militar à Ucrânia

Lançamento de mísseis na Ucrânia
Lançamento de mísseis na Ucrânia Direitos de autor LIBKOS/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor LIBKOS/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Reunidos em Lviv com Volodymyr Zelenskyy, os presidentes da Polónia e da Lituânia prometeram enviar mais equipamento militar para a Ucrânia

PUBLICIDADE

A Polónia está pronta a fazer tudo para ajudar a Ucrânia a derrotar a Rússia. Durante uma visita a Lviv, onde se encontrou com os seus homólogos ucraniano e lituano para a segunda Cimeira do Triângulo de Liubliana, o presidente polaco, Andrzej Duda, anunciou o envio de uma companhia dos cobiçados tanques Leopard de fabrico alemão.

Varsóvia envia 14 unidades destes veículos e espera que outros países deem o seu contributo.

Também o presidente da Lituânia, Gitanas Nauseda, anunciou a entrega pelo seu país dos sistemas antiaéreos Zenit e das munições necessárias.

O presidente Zelensky manifestou gratidão aos vizinhos pelo encontro e pelas promessas de ajuda, enquanto um dos seus conselheiros pedia mísseis de longo alcance para a Ucrânia vencer a guerra.

Mykhailo Podolyak disse à agência AFP que a Ucrânia vencerá a guerra este ano se o ocidente lhe enviar mísseis de longo alcance para enfraquecer a retaguarda russa, garantindo que não seriam utilizados para atacar o território russo.

Na terça-feira, Zelenskyy tinha agradecido no Twitter a bateria de mísseis antiaérea, NAMSAM, oferecida pelo Canadá.

O presidente Zelenskyy presidiu também esta quarta-feira a uma reunião de coordenação militar durante a qual avisou os chefes das regiões limítrofes da fronteira com a Bielorrússia para se prepararem para o prolongamento do conflito.

Kiev tem as atenções viradas para a fronteira norte. Embora Minsk tenha até agora resistido à pressão russa para entrar na guerra, os exercícios militares conjuntos do exército russo e bielorrusso são um motivo constante de preocupação na Ucrânia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ataque russo com mísseis faz seis mortos em subúrbio de Kharkiv

Civis eslovacos já doaram mais de 4 milhões de euros à Ucrânia para aquisição de munições

Controversa lei de mobilização entra em vigor na Ucrânia