Alemanha pressionada para enviar tanques para Kiev

Soldado ucraniano com arma pesada
Soldado ucraniano com arma pesada Direitos de autor AP
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Ucrânia pressiona Ocidente para acelerar o envio de armamento pesado. Agência Internacional de Energia atómica envia peritos para assegurar funcionamento das centrais nucleares ucranianas

PUBLICIDADE

A Ucrânia continua a insistir que o Ocidente acelere o envio de armamento pesado para repelir o invasor russo. Em Bakhmut, as tropas ucranianas preparam-se para o intensificar dos combates.

O Reino Unido anunciou que iria enviar tanques e a Polónia anunciou que está preparada para enviar um esquadrão veículos de combate Leopard 2 de fabrico alemão, mas para isso precisa ainda da aprovação de Berlim.

Em Davos, na Suíça, no Fórum Económico Mundial, o presidente polaco, Andrzej Duda, revelou que a decisão deverá estar para breve: "A pressão do palco político alemão e da opinião pública germânica está a tornar-se cada vez mais forte. Portanto, espero que o resultado de tudo isto, e que todos esses elementos, resultem nesta decisão muito, muito, muito, muito, muito necessária".

Há medida que a guerra se prolonga e os combates se intensificam, inclusive perto de centrais nucleares como Zaporíjia, a maior da Europa, a agência atómica das Nações Unidas começou a colocar peritos em quatro locais, para garantir o funcionamento seguro das instalações.

"Estaremos a trabalhar de mãos dadas com os nossos anfitriões ucranianos para facilitar algum apoio técnico, a entrega de equipamento e, para garantir que todas estas instalações possam continuar a funcionar normalmente e sem qualquer problema", afirmou o diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atómica, Rafael Grossi.

Entretanto, a União Europeia sublinhou que o apoio "inabalável à Ucrânia nunca diminuirá" e que Kiev vai receber ainda esta semana três mil milhões de euros, a primeira parcela do pacote de ajuda dos 27. Bruxelas concordou com uma assistência de 18 mil milhões para a Ucrânia durante o ano de 2023.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ucranianos frustrados com hesitação da Alemanha

Alemanha promete mais ajuda militar à Ucrânia perante acusações russas

Ucrânia receia grande avanço russo no próximo verão