EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Novo sismo faz mais dois mortos e agrava prejuízos já superiores a 32 ME

Equipas de resgate retiram sobrevivente de um edifício colapsado em Malátia, Turquia
Equipas de resgate retiram sobrevivente de um edifício colapsado em Malátia, Turquia Direitos de autor Mesut Yilmaz/DIA via AP
Direitos de autor Mesut Yilmaz/DIA via AP
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Terramoto de 5.6 voltou a sacudir Adiyaman, no sul da Turquia e fez colapsar mais três dezenas de edifícios que tinham resistido aos sismos de há três semanas

PUBLICIDADE

Pelo menos duas pessoas morreram e mais 140 ficaram feridas, doze delas com gravidade, após um novo sismo registado esta segunda-feira, por volta do meio dia, no sul da Turquia.

O tremor de terra atingiu uma magnitude de 5.6, na escala de Richter, teve o epicentro na região de Malátia, cerca de 220 quilómetros a nordeste de Gaziantep.

Cerca de três dezenas de edifícios colapsaram na região afetada esta segunda-feira, agravando a destruição provocada pelos fortes sismos de há três semanas, que afetaram também o norte da Síria, matando mais de 50 mil pessoas nos dois países e com prejuízos só na Turquia estimados em mais de 32 mil milhões de euros.

O presidente da Turquia pediu esta segunda-feira "perdão" aos habitantes da província de Adiyaman pelos atrasos da ajuda após os sismos.

"Devido aos efeitos devastadores dos terramotos e ao mau tempo, não pudemos trabalhar como queríamos nos primeiros dias. Peço desculpa por isso", afirmou Recep Tayyp Erdogan, que a 14 de maio enfrenta novas eleições presidenciais agora também sob pressão pela tragédia dos sismos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Morte, doença e desespero: A vida em Antáquia depois do terramoto

Ativistas denunciam projeto de lei do partido de Erdogan que prevê abate de cães vadios "agressivos"

Oito suspeitos de crimes de guerra sírios detidos na Alemanha e Suécia