Irão aceita reativar câmaras e mais inspeções nos complexos nucleares

Rafael Grossi fez o anúncio após uma visita de dois dias a Teerão
Rafael Grossi fez o anúncio após uma visita de dois dias a Teerão Direitos de autor Heinz-Peter Bader/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Diretor da Agência Internacional de Energia Atómica acredita que é possível reativar acordo de 2015

PUBLICIDADE

São as cedências que há muito a Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) procura da parte do Irão. Ao que tudo indica, as autoridades iranianas aceitaram reativar as câmaras de vigilância em vários complexos nucleares e aumentar o número de inspeções a estes locais, precisamente 50% mais. É o que revela Rafael Grossi, diretor da AIEA, após uma visita de dois dias a Teerão.

"Houve uma redução em algumas atividades de monitorização relacionadas com câmaras, com o processo de enriquecimento, o fluxo de sistemas de monitorização não estava a operar, por isso concordámos que vai funcionar novamente", declarou Grossi, em Viena.

O comunicado conjunto com a Organização de Energia Atómica do Irão foi bastante mais vago do que Grossi. Recorde-se que recentemente foram detetadas no país partículas de urânio enriquecido a 83,7%, próximo do patamar necessário para construir uma bomba atómica

As conversações sobre o nuclear iraniano estão bloqueadas desde agosto. Grossi acredita que será possível ressuscitar o acordo de 2015, que previa limitar as operações do programa nuclear em troca do levantamento de sanções internacionais.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

"Irão não é totalmente transparente" sobre programa nuclear, avisa ONU

Rússia e Irão unidos contra o Ocidente

Que futuro para o acordo nuclear entre o Irão e a Europa?