Ciclone Freddy mata mais de 100 pessoas

Ciclone Freddy
Ciclone Freddy Direitos de autor AP Photo/L'express Maurice
De  Euronews com Lusa
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O governo do Maláui decretou “estado de calamidade” na região sul do país. Em Moçambique há mais de dez vítimas mortais

PUBLICIDADE

O ciclone Freddy já matou mais de 100 pessoas e feriu dezenas no Maláui e em Moçambique. O Freddy é um dos ciclones mais fortes até gora registado no Hemisfério Sul e poderá ser o ciclone tropical mais duradouro. Surpreendeu os cientistas por fazer uma trajetória em arco raramente observada e é descrito como "fora da norma".

Cerca de 10 mil pessoas afetadas no Maláui

Numa conferência de imprensa em Blantyre (sul), a capital económica do país e segunda cidade, o comissário do Departamento de Gestão de Catástrofes, Charles Kalemba, confirmou o número de mortos, dos quais 85 foram registados em Blantyre. Além disso, 134 pessoas ficaram gravemente feridas somente em Blantyre, segundo a imprensa local, que cita Kalemba.

Segundo o responsável, cerca de 4 mil famílias foram afetadas, o equivalente a mais de 10 mil pessoas.

Província da Zambézia particularmente afetada em Moçambique

Em Moçambique, pelo menos dez pessoas morreram devido à passagem do ciclone na província da Zambézia. Vários bairros da cidade de Quelimane estão sem energia e telecomunicações.

O ciclone já perdeu força e é agora uma tempestade tropical, mas ainda assim deverá provocar chuva intensa até quarta-feira no centro do país

É a segunda vez que este ciclone passa sobre Moçambique, depois de um primeiro embate em 24 de fevereiro.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Desolação na Nova Zelândia após a passagem do ciclone Gabrielle

Ciclone Gabrielle provoca o caos na Nova Zelândia

Moçambique atingido pelo ciclone Gombe