GreenWeek: Seca em Doñana obriga produtores de arroz a parar

GreenWeek: Seca em Doñana obriga produtores de arroz a parar
Direitos de autor euronews
De  Hans von der Brelie
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O setor do arroz, na área de Sevilha, decidiu não plantar este ano, uma vez que aos produtores só foi atribuído 11% do volume de água disponível.

PUBLICIDADE

Os flamingos são uma das centenas de espécies de aves que se podem ver no Parque Nacional de Doñana, no sul de Espanha, mas com o aquecimento do planeta, o guia Sergio González Asián diz que há menos pássaros a reproduzir-se e menos espécies que sobrevivem. A biodiversidade está ameaçada.

Em Doñana há também 37 mil hectares de arrozais.

Um sofisticado sistema de estações de bombeamento canaliza a água do rio Guadalquivir para os campos.

Todos os anos, as autoridades atribuem uma quota de água a diferentes utilizadores.

Mas há um problema. "Estas áreas são arrozais. Nos últimos 3 anos não veio muita água doce para o Oceano Atlântico dos reservatórios nas montanhas. A água salgada chegou mais perto. Este ano, a percentagem de sal num litro de água de irrigação tem cerca de 3 gramas e é demais para o arroz", realça Sergio.

Em 2022, a falta de água tornou-se crítica, José Daniel Carbonell e os outros produtores de arroz receberam menos 70% de água. O sindicato dos produtores de arroz, presidido por José, decidiu cultivar apenas 30% dos arrozais. 

"Este ano, o déficit hídrico é ainda pior. Então decidiram dar-nos apenas 11 por cento do volume de água disponível. E no setor do arroz à volta de Sevilha, foi decidido mesmo não plantar arroz", diz o presidente do sindicato.

Espanha pediu à Comissão Europeia fundos de emergência da Política Agrícola Comum para apoiar os produtores.

"Este é um solo argiloso que está seco e o que faz é criar pequenos torrões, o que impede o cultivo de qualquer cereal ou hortícolas. Aqui na marisma de Guadalquivir a única coisa que se pode fazer é o cultivo de arroz, mas apenas com inundação", explica Carbonell.

No armazém, José ainda tem algum arroz da colheita do ano passado.

Este ano, o setor está paralisado.

Más notícias para a comunidade rural de Isla Mayor, uma aldeia fundada há um século para a colonização das marismas com produtores de arroz. "A situação é lamentável e possivelmente catastrófica para alguns agricultores", afirma o sindicalista.

"Dois terços do território espanhol estão sob a ameaça da desertificação. Aqui começa a crise climática", conclui o repórter da Euronews, Hans von der Brelie.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Espanha tem plano de 1,4 mil milhões para salvar Parque Nacional de Doñana

ONG entregam petição à Comissão Europeia sobre ameaça ao Parque de Doñana

Só em janeiro, Canárias receberam mais migrantes do que na primeira metade de 2023