EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

ONU revela que cerca de 735 milhões passam fome no mundo

Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura
Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura Direitos de autor Alessandra Tarantino/Copyright 2017 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Alessandra Tarantino/Copyright 2017 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

África continua a ser a região mais afetada, com uma em cada cinco pessoas a passar fome no continente, mais do dobro da média mundial

PUBLICIDADE

Mais de 120 milhões de pessoas foram “empurradas” para a fome por causa da combinação de crises climáticas, com a pandemia e com conflitos globais, incluindo a guerra na Ucrânia. Esta é conclusão do último relatório da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). Se as tendências se mantiverem, o objetivo de Desenvolvimento Sustentável de acabar com a fome até 2030 não será cumprido.

Um sinal de alerta para a luta contra a fome

O relatório da FAO revela que cerca de 735 milhões de pessoas passam fome no mundo. Isto representa um aumento de 122 milhões de pessoas em relação a 2019, antes da pandemia de COVID-19.

Embora os números globais da fome tenham estagnado entre 2021 e 2022, há muitos lugares no mundo que enfrentam crises alimentares cada vez mais graves. Registaram-se progressos na redução da fome na Ásia e na América Latina, mas a fome continuava a aumentar na Ásia Ocidental, nas Caraíbas e em todas as sub-regiões de África em 2022. 

África continua a ser a região mais afetada, com uma em cada cinco pessoas a passar fome no continente, mais do dobro da média mundial.

Através de um comunicado de imprensa, o Secretário-Geral da ONU disse que “há raios de esperança” e que algumas regiões estão no bom caminho para atingir alguns objetivos de nutrição para 2030. “Mas no geral, precisamos de um esforço global intenso e imediato para salvar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, sublinha António Guterres.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Fome por causa de seca extrema espalha morte pelo Corno de África

FAO diz que país vive uma crise histórica

UE: uma em cada quatro crianças em risco de pobreza