EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

União Europeia aperta sanções à Bielorrússia para travar fintas russas

Presidentes da Bielorrússia e da Rússia
Presidentes da Bielorrússia e da Rússia Direitos de autor Mikhail Klimentyev/Sputnik
Direitos de autor Mikhail Klimentyev/Sputnik
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Invasão da Ucrânia motiva reforço europeu dos bloqueios comerciais ao regime de Alexander Lukashenko, o maior aliado de Vladimir Putin na agressão em curso

PUBLICIDADE

União Europeia apertou rede de sanções à Bielorrússia com objetivo de limitar o poder da Rússia de fintar através de Minsk os fortes bloqueios do ocidente aos interesses do Kremlin.

Tudo por causa da invasão da Ucrânia lançada em fevereiro de 2022 e que prossegue com bombardeamentos contra alvos civis e agora também contra infraestruturas essenciais à exportação de cereais pela Ucrânia.

O Conselho Europeu aprovou e a Comissão Europeia apoiou estas novas sanções às importações bielorrrussas que vão incidir em produtos e tecnologias que poderiam aumentar o poder militar do país liderado por Alexander Lukashenko e o maior aliado do Kremlin na invasão da Ucrânia.

O Conselho Europeu também impôs mais bloqueios a exportação para a Bielorrússia de armas de fogo, munições e outros produtos e tecnologias que pudessem vir a ser usados na indústria aeroespacial, inclusive pelas forças afetas ao Kremlin.

Com isto, a União Europeia pretende alinhar também as sanções à Bielorrússia com as aplicadas à Rússia, impedindo assim o regime de Putin de contornar algumas delas através das até menores dificuldades do amigo Lukashenko.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Poderá a UE ajudar os bielorrussos pró-democracia que combatem Lukashenko?

Prisioneiro político bielorrusso morre por alegada falta de cuidados médicos

Erdogan pede a Putin para voltar ao acordo de cereais com Kiev