EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Itália cria leis anti-imigração com medidas dirigidas a menores

Agente da polícia olha para criança a brincar com bolas de sabão no porto de Lampedusa, Itália
Agente da polícia olha para criança a brincar com bolas de sabão no porto de Lampedusa, Itália Direitos de autor Cecilia Fabiano/LaPresse
Direitos de autor Cecilia Fabiano/LaPresse
De  Giorgia OrlandiEuronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Governo de Giorgia Meloni aprovou um decreto que visa facilitar detenção a partir dos 16 anos e a identificação de adultos que se façam passar por menores na chegada ao país.

PUBLICIDADE

O governo italiano aprovou esta quarta-feira um pacote de medidas para aumentar o número de repatriamentos de imigrantes em situação irregular. 

Entre os alvos do novo decreto podem estar inclusive menores não acompanhados, tendo em conta os esforços do executivo de Giorgia Meloni para identificarimigrantes adultos que mintam sobre a sua idade, fazendo-se passar por menores

Até agora, as crianças que chegavam a Itália com um dos pais, ou um tutor legal, podiam beneficiar de um regime de proteção especial baseado na presunção de menoridade. Mas, ao abrigo do novo decreto, as forças policiais terão mais poderes e mais instrumentos, incluindo a utilização de exames físicos e radiografias para verificar a idade de qualquer indivíduo.

Ainda ao abrigo deste novo decreto, os menores a partir dos 16 anos serão colocados, durante um período de tempo limitado, em centros de acolhimento reservados a adultos. A medida surge na sequência de vários presidentes de câmara se terem queixado da falta de instalações disponíveis para acolher menores e dos custos envolvidos para os sustentar.

Organizações humanitárias têm criticado os centros de acolhimento italianos pelas condições deploráveis que apresentam.

A nova legislação visa também os estrangeiros a viver legalmente em Itália, que passam a poder ser deportados se forem considerados uma ameaça à ordem pública ou à segurança nacional.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Em Monfalcone, Itália, um terço dos residentes é imigrante mas a autarquia é de extrema-direita

Lampedusa está sobrecarregada depois de receber mais de 1000 migrantes em 24 horas

Câmara de Itália rejeita moção de desconfiança contra Matteo Salvini e Daniela Santanchè