EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Bairro cultural de West Kowloon em Hong Kong quer afirmar-se com centro das artes na Ásia

Bairro cultural de West Kowloon em Hong Kong quer afirmar-se com centro das artes na Ásia
Direitos de autor euronews
Direitos de autor euronews
De  Cristina Ginereuronews
Publicado a
Partilhe esta notícia
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O bairro cultural de West Kowloon em Hong Kong aposta numa arquitetura imponente e ambiciona ser o centro das artes na Ásia.

PUBLICIDADE

Construído em terrenos do porto Victoria, em Hong Kong, o novo bairro cultural de West Kowloon é um dos maiores projetos culturais do mundo.

O bairro ocupa uma área de 40 hectares e ambiciona afirmar-se com um centro dedicado às artes. A casa de leilões Phillips estabeleceu a sua nova sede em West Kowloon.

Xiqu Centre: a nova casa da ópera cantonesa

Situado no extremo leste do bairro, o Xiqu Centre foi Inaugurado em 2019. O edifício, que possui uma arquitetura impressionante, é a nova casa da ópera cantonesa.

A estrutura inclui um teatro com capacidade para receber 1073 pessoas, bem como um teatro mais "íntimo", a Casa de Chá. Concebido no estilo tradicional das casas de chá de Hong Kong do início do século XX o pequeno teatro alberga a icónica Tea House Theatre Experience, uma representação narrada de excertos de ópera cantonesa.

O centro acolhe espetáculos teatrais, mas também projeções de filmes, workshops, simpósios e o festival anual de ópera chinesa.

Uma arte antiga e codificada

A ópera chinesa é uma arte antiga. Pensa-se que terá começado na dinastia Tang, com o imperador Ming Huang (712-755), que criou a primeira companhia de teatro do país, o Pear Garden.

As origens exatas da ópera cantonesa, também conhecida como "teatro de Guangdong", continuam a ser debatidas, mas sabe-se que remontam à dinastia Ming do século XVI, sob o reinado do imperador Jiajing (1522-1566). 

Esta forma de arte ter-se-á desenvolvido na província de Guangdong durante a dinastia Song, no século XII. De acordo com a Universidade da Cidade de Hong Kong, trata-se de "uma mistura de diferentes estilos de ópera, como as melodias Yiyang e Kun da dinastia Ming, a ópera Xiqin e Han do início da dinastia Qing, as óperas regionais das províncias de Jiangsu, Henan, Anhui, Hunan, Hebei e Guangxi, bem como a música local de Guangdong e a sua tradição de contar histórias através da canção".

Em 2009, a ópera cantonesa foi considerada Património Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO.

Partilhe esta notícia

Notícias relacionadas

O museu M+ e a cena cultural em Hong Kong

O novo museu M+ em Hong Kong e o novo bairro de West Kowloon

As start-ups europeias em Hong Kong