EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Hamas liberta mais duas reféns

Yocheved Lifshitz, 85 anos, e Nurit Cooper, 79 anos, são escoltadas pelo Hamas enquanto são entregues à Cruz Vermelha
Yocheved Lifshitz, 85 anos, e Nurit Cooper, 79 anos, são escoltadas pelo Hamas enquanto são entregues à Cruz Vermelha Direitos de autor AP/AP
Direitos de autor AP/AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Libertação deve-se a "razões humanitárias e de saúde precária". Bombardeamentos a Gaza matam mais 140 pessoas durante a noite, diz Hamas.

PUBLICIDADE

O Hamas libertou durante a noite de segunda-feira mais duas reféns. Yocheved Lifshitz, de 85 anos, e Nurit Cooper, de 79 anos, juntam-se assim às duas cidadãs americanas - mãe e filha - já libertadas, na sexta-feira.

Ambas as mulheres, agora em liberdade, tinham sido sequestradas juntamente com os seus maridos, quando se encontravam nas suas casas no kibutz de Nir Oz, perto da fronteira com Gaza, a 7 de outubro.

A decisão de as libertar, informa o braço armado do grupo, deve-se a "razões humanitárias e de saúde precária". No entanto, um negociador do Hamas diz que reféns civis serão libertados se Israel reduzir os bombardeamentos, intensificados nos últimos dias em Gaza.

Mas, de acordo com o grupo radical islâmico, os bombardeamentos israelitas mataram mais 140 pessoas em Gaza, durante a noite.

Após a recente visita de Joe Biden a Israel, os Estados Unidos fizeram depender a intervenção diplomática para um possível cessar-fogo da recuperação dos mais de 200 reféns feitos pelo Hamas.

Washington aconselhou também Israel a adiar a entrada em Gaza, de forma a possibilitar as negociações. 

No entanto, Telavive recusa travar a ofensiva terrestre. A decisão é apoiada pelo exército israelita que diz estar preparado para uma ofensiva terrestre e conta com o apoio de Benjamin Netanyahu.

Apesar de a progressão no terreno enquanto decorrem esforços diplomáticos para libertar reféns ter lançado sobre o governo israelita suspeitas de divisão interna, o primeiro-ministro rejeita as acusações.

"Tomamos as decisões aqui e no gabinete de guerra por unanimidade. Fazemo-lo de forma muito responsável. Também o fazemos por reverência", afirmou Netanyahu.

Israel intensifica bombardeamentos a Gaza

O Hamas revela que os bombardeamentos israelitas mataram 140 pessoas em Gaza, durante a noite.

Mais de 5000 palestinianos foram mortos em bombardeamentos israelitas desde o ataque do Hamas a 7 de outubro. A este número, revelado pelo ministério da Saúde de Gaza, acrescem, segundo as Nações Unidas, 1,4 milhões de pessoas, mais de metade da população do enclave, deslocadas internamente.

Israel deixa aviso a Líbano

A crescente troca de fogo junto às fronteiras faz temer um conflito mais alargado. Na cidade israelita de Kiryat Shmona, perto do Líbano, os alertas de ataque e as explosões têm sido frequentes.

Em resposta o exército israelita avisou que a escalada de ataques do Hezbollah contra Israel pode "arrastar o Líbano para uma guerra".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Bombardeamentos em Gaza já terão morto mais de 5 mil pessoas - Hamas

Israel vai aumentar a intensidade dos ataques aéreos na Faixa de Gaza

Coluna de 120 carros faz manifestação pelos reféns em Israel